Aventuras brasileiras na Europa: Fogão campeão ‘La Coruña’

Compartilhe:

Analise a foto: com a bola dominada, Alessandro Del Piero, ídolo da Juventus, avança, e é marcado por… Um jogador com meiões e calções do Botafogo, mas com a camisa do La Coruña?

Sim, essa bizarrice ocorreu em 1996, na decisão do Troféu Teresa Herrera, realizado no estádio Riazor, em La Coruña.

Nesta quarta-feira, o São Paulo estreia na Copa Audi, torneio amistoso disputado na Allianz Arena, em Munique. A equipe brasileira encara o Bayern, enquanto Milan e Manchester City disputam a outra semifinal. Em dia de brasileiro na Europa, relembre passagens curiosas de equipes daqui pelos gramados do Velho Continente.

Botafogo 4 x 4 Juventus – 1996

O Botafogo foi convidado para a disputa do tradicional torneio amistoso espanhol meses após ser campeão brasileiro. Na primeira partida, o time liderado por Túlio bateu o La Coruña por 2 a 1, gols do próprio Túlio e de Bentinho. Na outra semifinal, a Juventus (campeã europeia de 1996) goleou o Ajax (campeão europeu de 1995) por 6 a 0. Portanto as duas equipes alvinegras teriam que duelar na decisão.

Só que nenhuma das equipes levou o uniforme reserva para a Espanha. O que fazer?

A solução foi o La Coruña ser “camarada” e emprestar suas camisas par o Botafogo. E assim jogadores como Del Piero, Deschamps e Vieri tiveram que encarar um “misto” de Bota e La Coruña. Só que o uniforme bizarro deu srte para os brasileiros.

Após um grande jogo, que terminou em 4 a 4, com direito a gol de Túlio para empatar a partida aos 14 min. do 2° tempo da prorrogação, a decisão foi para os pênaltis. E o “Botafogo/La Coruña” viu a Juve perder todas suas três cobranças para levar a taça, provavelmente a única de um time vestindo a camisa de um clube e o calção e meiões de outro na história.

São Paulo 4 x 1 Barcelona / São Paulo 4 x 0 Real Madrid – 1992

Se a fase do São Paulo atualmente não é boa, os torcedores podem se apegar ao passado para ter esperança de vencer a Copa Audi. Em 1992, pouco antes do primeiro título mundial do clube, o tricolor foi até a Espanha e fez uma “dobradinha” em torneios amistosos: levou o Ramón de Carranza e o Teresa Herrera.

No segundo, no dia 28/08/1992, o São Paulo goleou o Real por 4 a 0, com dois gols de Muller, um de Raí e um de Elivélton. O Real contava com jogadores como Ivan Zamorano, o croata Prosinecki e Hierro.

Mas foi no primeiro, 13 dias antes, que o São Paulo começou a ganhar seu primeiro título mundial. Não entendeu? Pois bem: a final do torneio Teresa Herrera foi contra o Barcelona, que seria o rival do clube em dezembro, no Japão. A goleada por 4 a 1 (dois de Raí, Muller e Maurício) deixou claro que o tricolor não iria para a Ásia passear. Veja a capa do jornal catalão Mundo Deportivo após a goleada:

Crédito: Reprodução/Mundo Deportivo

Grêmio São Carlense 0 x 2 Lazio / Grêmio São Carlense 0 x 1 Fiorentina – 1997
Aquela que talvez seja a mais bizarra história de times do Brasil na Europa começa com o chamado “jeitinho brasileiro”: a organização do torneio amistoso Cecchi Gori, na Itália, já havia fechado com Lazio e Fiorentina, mas queria um terceiro time para fechar o triangular. Resolveu ir ao Brasil e negociou com um empresário a participação do Grêmio, campeão da Libertadores em 1995 e Brasileiro em 1996.

Só que o Grêmio não acertou a viagem. O que o empresário fez? Armou um esquema com outro Grêmio, o São Carlense, do interior de São Paulo. E levou a equipe paulista para a Itália sem avisar ninguém de lá sobre a “troca”.

A fraca equipe, que estava na Série A-2 do Paulista à época, entrou em campo para dois jogos de apenas 45 minutos, e saiu sem marcar um gol sequer. Voltou para o Brasil com história para contar, já que no meio da competição a mentira foi descoberta. Para o torneio não ser cancelado,deixaram o São Carlense jogar mesmo assim. A equipe acabaria extinta em 2005.

Santos 2 x 2 Barcelona – 1998

O Santos enfrenta o Barcelona na próxima sexta-feira, pelo troféu Joan Gamper, no estádio Camp Nou. Só que não será a primeira vez que o clube paulista fará isso. Em 1998, o time perdeu apara o Barça o torneio, mas só nos pênaltis, após empate em 2 a 2 no tempo normal.

A principal curiosidade foi o gol de Adiel, eterna promessa santista e considerado uma das esperanças pós-Giovanni do time. Giovanni, inclusive, entrou em campo pelo Barça naquele jogo. Adiel marcou o gol que levou a partida para os pênaltis: Ânderson Lima anotou o primeiro do Santos, enquanto Rivaldo e Figo marcaram para o Barça.

A Santos TV, canal oficial do Santos no Youtube, fez um vídeo nesta semana em que entrevista Adiel, Narciso, Zetti e o técnico Leão, que estavam naquele jogo:

Palmeiras 2 x 0 Flamengo – 1997

Uma partida entre brasileiros? Sim. Em 1997, Flamengo e Palmeiras fizeram o último jogo do Troféu Naranja, triangular disputado na Espanha que também contou com o Valencia. O Palmeiras ganhou por 2 a 0 e levou o título, mas não foi tão simples.

Todos os três jogos do torneio tiveram disputas obrigatórias de pênaltis, apesar de nenhuma terminar empatado. No primeiro jogo, o Palmeiras perdeu para o Valencia por 3 a 1, mas venceu nas penalidades por 5 a 4. Depois, o Flamengo perdeu para o Palmeiras por 2 a 0, e também nos pênaltis, por 5 a 4. A taça, então, já era do Palmeiras, já que os pênaltis eram o primeiro critério de desempate.

Mas Flamengo e Valencia ainda entraram em campo: a equipe carioca bate a espanhola por 3 a 1 no tempo normal e por 4 a 1 ns pênaltis para ficar com o vice.

Fluminense 0 x 0 Bangu – 1989

O Fluminense viajou em 1989 para um torneio na Ucrânia, no qual enfrentaria a Roma em uma semifinal do quadrangular para, depois, enfrentar ou Atlético de Madrid ou Dínamo de Kiev.

Só que o Atlético desistiu, o Bangu foi convidado e a vitória do Flu sobre a Roma, por 1 a 0, classificou a equipe para um decisão contra o pequeno clube brasileiro, que derrotou o Dínamo por 4 a 2.

Na final, um 0 a 0 modorrento levou a partida para os pênaltis, que o Flu levou por 4 a 2. Viajar até a Ucrânia para encarar o Bangu? Mais uma aventura brasileira na Europa.

Outras “aventuras”:

Em 2011, o pequeno Comercial de Ribeirão Preto viajou até a Áustria para uma série de quatro amistosos. Uma das vitórias foi surpreendente: 2 a 1 sobre o Anzhi, da Rússia, que contou com Roberto Carlos na lateral-esquerda. Ele inclusive fez o gol de honra russo.

Em 1969, a Portuguesa Carioca visitou o Real Madrid no Santiago Bernabéu. Goleada do Real? Nada disso. O pequeno clube carioca surpreendeu e venceu os espanhóis por 2 a 1, com dois gol do atacante Miguel. A surpresa fez com que o Real fosse atrás de Escurinho, atacante da Lusa – porém , desistiu da contratação ao descobrir que el já estava com 39 anos.

Fora da Europa, o episódio mais curioso é, provavelmente, a viagem do Atlético Sorocaba para a Coreia do Norte, em 2009. A seleção asiática já estava classificada para a Copa do Mundo de 2010 e, como preparação, convidou o pequeno time brasileiro para um amistoso. Só que o placar eletrônico do estádio em Pyongyang mostra o seguinte jogo durante a partida: Coreia do Norte x Brasil. Sim, os coreanos não assumiram que não se tratava da seleção brasileira. O jogo terminou 0 a 0.

Fonte: UOL

Comentários