Na entrevista coletiva de Eduardo Barroca após a derrota do Botafogo para o Grêmio, por 1 a 0, no Nilton Santos, a palavra ‘coletiva’ (e suas variações), ironicamente, foi o que mais se ouviu. Uma pergunta sobre o lateral-direito Fernando, que recebeu vaias pontuais da torcida, nesta quarta-feira, foi a centelha para o que o treinador deixasse de lado qualquer avaliação individual negativa e assumisse a responsabilidade pelo revés ‘coletivo’ em casa:

– Eu entendo que o Botafogo hoje perdeu o jogo pela coletividade. Não seria capaz de falar de um jogador. Acho que o Grêmio coletivamente ganhou o jogo, e quando isso acontece, a responsabilidade é minha, do treinador. Coletivamente, preciso criar soluções ofensivas. Por exemplo, no jogo do Fluminense, em que tivemos problemas, mas conseguimos vencer. Quando o problema é coletivo, a responsabilidade é minha.

Assim como o zagueiro Gabriel, Barroca deu créditos ao Grêmio não só pelo resultado, mas pelas dificuldades encontradas pelos cariocas no Nilton Santos. Ao contrário do que vinha sendo a tendência do Alvinegro neste Brasileirão, o Botafogo terminou a partida com 46% da posse de bola, contra 54% dos gaúchos.

– O adversário simplesmente não permitiu que a gente pressionasse, pois tem uma ótima qualidade na saída de bola, com opções treinadas. Ficaram a maior parte do tempo com a bola, acabaram desgastando a gente, tirando o jogo da nossa característica. Isso foi determinante para o resultado – avaliou o comandante.

Fonte: UOL