Com muito trabalho e comprometimento, o departamento de base do Botafogo vai, aos poucos, buscando evoluir ainda mais na formação de seus jovens. Nesta sexta-feira (16/08), a garotada Sub-12 do Fogão embarcou rumo à China para a disputa do Meizhou International Youth Tournament, que acontecerá entre os dias 18 e 28 de agosto.

A competição internacional contará com 8 equipes de diferentes países. O Glorioso está no Grupo A juntamente com o R&F Football Academy (China), Meixian Techand FC (China) e Sparta Anusorn (Tailândia). No Grupo B estão o Cerezo Osaka (Japão), Benfica (Portugal), Meizhou Hakka (China) e o Meijang District (China).

– Para muitos meninos essa será a primeira vivência fora do país. Uma oportunidade de conhecerem outras culturas, modelos de jogo diferentes, e de se relacionarem com pessoas em outra língua. Isso dará uma bagagem extraordinária para esses atletas, não só pelo lado social, que é algo que o Botafogo preza muito, mais também dando cada vez mais bagagem e rodagem em jogos importantes a eles. É o Botafogo focando na formação e voltando a levar sua marca ao exterior – valorizou o supervisor alvinegro na viagem, Bruno Hanek.

– Pensando sempre em entregar um jogador cada vez mais pronto ao profissional, precisamos desde cedo acostumar nossos jogadores a ganhar e a jogar contra as melhores equipes do mundo. Então, essas excursões internacionais dão uma grande experiencia aos atletas, por serem curtas e com muitos jogos, com pouco tempo de descanso e inúmeras outras variáveis, e agregam demais na formação de nossos jogadores – finalizou.

Buscando sempre a formação de seus atletas de maneira integral na sua totalidade, o Botafogo sabe da importância de experiências internacionais para o clube e espera aumentar ainda mais essa rotina. Organizador de toda a logística envolvida na viagem, Bruno explicou um pouco do trabalho realizado e expressou a felicidade de ver os resultados no final do processo.

– A responsabilidade de levar esse meninos tão novos é grande, é uma viagem bem longa, com um total de 26 horas contando com as escalas, e com isso precisamos pensar na melhor logística para minimizar o desgaste e o cansaço que vai existir, tanto da viagem quanto da competição. Além disso temos que deixar tudo bem explicado aos pais e aos atletas, organizar as documentações, autorizações, vistos, passagens, hotéis, enfim, todo um trabalho cuidado e minucioso, mas que vale a pena quando vemos eles conquistando títulos, chegando ao profissional e até à Seleção Brasileira – disse.

Fonte: Site oficial do Botafogo