Blog: ‘A vaga na Libertadores é bem possível. Nós precisamos e nós merecemos’

Compartilhe:

A torcida do Botafogo precisava e merecia. Especialmente quem não desistiu e compareceu de novo ao Maracanã. Apesar do insano calor, o clima foi maravilhoso no Maraca.

Se estava com cabeça na final da Copa do Brasil eu não sei, mas o time titular do Atlético-PR (sem Paulo Baier) não viu a cor da bola durante o jogo. Até sofrer o 3˚ gol, eles correram bastante. Depois do 1˚ de Bruno Mendes, eles claramente diminuíram o ritmo: natural.

Eles correram muito pelo preparo físico avantajado (o único dos 20 times da séria A que fez uma verdadeira pré-temporada) e também pela bela atuação do Botafogo: tocamos muito e tocamos bem a bola. Seedorf, Renato e Gabriel jogaram muito bem e fizeram o time e a bola fluírem. Estes precisavam muito de uma atuação como a de ontem.

Hyuri correu muito, se esforçou muito e conseguiu ajudar de alguma forma, apesar de se atrapalhar um pouco, fez boa partida. Ele também precisava.

Elias ainda mal fisicamente (será que o fato de ter feito uma “pré-temporada” em um time pequeno explica isso?), mas nada o impede de ser um dos jogadores que mais se doam em campo. Mais um gol dele de raça e esforço. Ele precisava marcar de novo, assim como Seedorf precisava e marcou: o camisa 10 foi novamente aplaudido e teve o nome cantado pela torcida, coisa que não vinha acontecendo.

Mas entre gols e a necessidade deles, ninguém precisava marcar mais que Bruno Mendes. Ele já havia entrado com algum destaque contra a Portuguesa, mas seguia no jejum de gol que já durava desde o Carioca. Estava longe de ser aquele atacante que havia encantado os botafoguenses no final do BR-12.

Bruno entrou, fez 2 e distribuiu bons passes. Mesmo com Seedorf, Gabriel, Renato gastando a bola, Rafael Marques indo muito bem e parando 2 vezes na trave, Bruno Mendes foi o nome e a figura do jogo. Ninguém precisava mais de gol e de uma boa atuação como ele.

Devemos reformular o elenco para o ano que vem, especialmente no setor do ataque. Acho que Elias pode ser um importante reserva e que Bruno Mendes, se pensar somente no futebol e se dedicar à profissão, poderia ficar e contribuir bastante (diferente de boa parte desse 2013).

Vamos sem Bolívar (Dankler deve ser titular) para encarar o São Paulo (que deve ir com time misto ou reserva) no domingo que vem. Como disse há alguns dias: precisamos ganhar para compensar o péssimo empate com a Portuguesa.

Mais que uma goleada, uma vitória expressiva sobre um rival direto (que é um bom time) amplia todas as nossas esperanças. A vaga na Libertadores é bem possível. Nós precisamos e nós merecemos.

Fé! Vamos conseguir!

Venceremos.

Fonte: Blog Bate-Bola Alvinegro - Globoesporte.com

Comentários