Palmeiras de Cuca somava 61 pontos ao final da trigésima rodada do Brasileiro de 2016…

Foi quando, ao empatar com o Cruzeiro, viu cair para um ponto a diferença de três que o separava do Flamengo.

Aquele fato gerou apreensão, fez crescer as especulações, mas nem por isso o clube deixou de festejar o título no final.

Venceu seis jogos nas últimas oito rodadas da competição que liderava desde a virada do turno e levou a taça.

A VITÓRIA de 2 a 1 do Botafogo sobre o Corinthians na noite de segunda-feira reduziu para seis pontos a distância entre o líder e os segundos colocados.

E isso nos trouxe de volta o sabor da disputa pelo título.

A vantagem ainda é considerável, mas não o bastante para deixar o torcedor tranquilo.

Porque não precisa ser um entendido para enxergar que o time perdeu a confiança e não tem mais o jogo de antes.

MAIS UMA VEZ, vale lembrar da campanha do Palmeiras de 2016, que foi mais eficiente no returno do que o turno.

Bem diferente do Corinthians deste ano.

O time campeão no ano passado teve desempenho mais equilibrado.

Era o líder do turno com sete vitórias na 11ª rodada, e também liderava o returno na 30ª, com sete.

A diferença estava na distância para o vice-líder: dois pontos no turno, um no returno.

O CORINTHIANS de Fábio Carille, na 11ª rodada do turno, tinha nove vitórias e sete pontos de vantagem para o segundo colocado.

No returno, tem os tais seis pontos de diferença para os concorrentes mais próximos na 30ª rodada, mas venceu apenas três jogos.

A ausência de Pablo na zaga, a queda de rendimento da dupla Fágner e Arana e a decadência de Jadson fazem do líder um time qualquer…

POR ISSO, é absolutamente aceitável imaginar que o Botafogo estaria na briga pelo título do Brasileiro se não tivesse se desgastado tanto em outras frentes.

Sobretudo na Copa do Brasil e na Libertadores.

Assim como é também bem factível supor que o caráter dos jogos eliminatórios tenha dado ao time um casco que o protege das farpas.

Hoje, o Botafogo líder do returno é tão bom quanto qualquer outro do G-4.

E são os resultados do campo que mostram isso…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online