Se há alguma graça à vista neste Estadual do Rio talvez seja apostar qual dos sul-americanos em ação por aqui produzirá o brilho mais reluzente.

Conca, do Fluminense?

Montoya, do Vasco?

Lodeiro, do Botafogo?

Ou Mugni, do Flamengo?

Os três primeiros nós já conhecemos, vamos ver o argentino que está chegando à Gávea.

Habilidosos, determinados, “los hermanos”, por certo, roubarão a atenção dos torcedores.

Principalmente porque não produzimos mais este tipo de jogador.

Um meia que se insinue, que movimente o jogo, que dê graça ao espetáculo.

Por vezes, podem até não oferecer tudo isso, mas a simples presença dele em campo gera a expectativa.

Isso, talvez, explique porque os clubes brasileiros busquem tão freneticamente um meia com este sotaque portenho…

Vasco 6 x 0 Friburguense.

Talvez Adílson se convença de que o badalado 4-2-1-3 esteja mais à feição do Vasco do que o convencional 4-3-3.

É evidente que a entrada dos “gringos” Martín Silva, Guiñazu e Aranda deu sustentação, mas o novo posicionamento de Montoya fez o time andar.

O colombiano, em vez de jogar na linha do meio, trabalhando na armação e na marcação, jogou mais à frente, aberto.

Agora é buscar os ajustes _ tempo de bola, utilização de Edmílson como referência, chutes de fora da área…

Fica mais fácil até para qualificar o elenco.

Nova Iguaçu 1 x 3 Fluminense.

Impressiona o futebol que o argentino Conca joga neste retorno às Laranjeiras.

Mas o Fluminense ainda não consegue evoluir com suas linhas de forma compacta o que acaba comprometendo o todo.

Mas é tudo questão de tempo, de treino.

Renato Gaúcho acertará a marcação e a evolução do todo não deverá tardar.

Afinal, do meio para frente, o elenco tricolor é muito bom.

Cabofriense 2 x 1 Botafogo.

Ainda que estivesse embalado, com Seedorf e Rafael Marques em campo, o Botafogo teria problemas para fazer quatro jogos em oito dias.

Imagine com o time mesclado, em início de temporada e sem padrão de jogo?

Pois, é: empatou dois, venceu um e perdeu outro.

Resultados que não devem servir de parâmetro para análises conclusivas.

Flamengo 2 x 2 Duque de Caxias.

Apesar de o “lanterna” ter colocado 2 a 0 no placar, o time do Flamengo com Elano na função antes exercida por Elias teve bons momentos na criação.

E mostrou poder de reação com Alecsandro e Gabriel somando-se a Paulinho e Hernane.

Os erros do sistema defensivo ocorreram por falta de ritmo, o que, por enquanto, não assusta.

Este time de Jaime de Almeida tem tudo para rodar e oferecer bons espetáculos.

Vejamos….

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online