A bola finalmente rolou para o Botafogo em 2017.

Apesar de estar treinando desde o dia 11 de janeiro, o novo time teve seu primeiro teste neste domingo, em amistoso contra o Rio Branco-ES, em Cariacica.

Obviamente, ainda é muito cedo para tirar conclusões ou dar opiniões aprofundadas, mas a vitória por 4 a 0 já deu alguns indícios do que vem sendo trabalhado e qual a expectativa para a longa e desafiadora temporada.

Ainda com alguns desfalques importantes e com quase toda a defesa reserva, o Alvinegro projetou seu novo estilo de jogo, com mais posse de bola e ofensividade – embora Jair admita ainda estar, naturalmente, fazendo testes táticos.

Quem foi bem

 

Rodrigo Pimpão foi o destaque da partida. Ele, que inicialmente será reserva, certamente colocou uma pulga atrás da orelha do treinador. Fez dois gols, deu uma assistência e mostrou estar em ótima forma física e técnica. Vale lembrar que ele é a principal alternativa para uma mudança de estilo de jogo, diante da pergunta mais repetida de dezembro até aqui: será possível jogar com Camilo e Montillo juntos?

 

Por falar nisso, Walter Montillo foi outro a se destacar no amistoso. Não só pelo belo gol, mas principalmente pelas boas condições de jogo demonstradas. Comprovando que não esteve parado nas férias, se movimentou bastante e mostrou agilidade e velocidade. A visão de jogo também chamou atenção logo de cara, ao fazer bom lançamento para Jonas na origem do 1º gol da temporada. Se já estava empolgada com o reforço, a torcida ficou ainda mais esperançosa depois dessa primeira exibição.

 

Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Montillo teve ótima estreia pelo Botafogo

 

Aírton mostrou estar com os passes calibrados como no ano passado, apesar de ainda não estar no seu melhor ritmo de jogo. Emerson Silva assumiu o papel de xerife da zaga e se movimentou bem, fazendo bons cortes nas poucas vezes em que fomos ameaçados e organizando a saída de bola desde a nossa área.

 

Quem precisa melhorar

 

É natural os jogadores estarem em ritmos diferentes no início de temporada. Fisicamente, cada um tem sua exigência de tempo para readaptação – embora precisem equalizar tudo já para o dia 1º de fevereiro, quando disputaremos uma final contra o Colo-Colo.

 

Tendo isso em vista, os que mais preocuparam são Bruno SilvaRoger. Ambos, ainda muito abaixo do restante fisica e tecnicamente, são teoricamente titulares. Eles erraram muitos passes e não mostraram boa movimentação. Rodrigo Lindoso, embora um pouco melhor, também não esteve bem – mas preocupa menos, visto que deve ceder a vaga a João Paulo.

 

Segundo tempo com reservas

 

Ao encerrar a primeira etapa com 3 a 0 no placar, o Glorioso voltou do intervalo promovendo novos testes e trocando todos os jogadores, sendo muitos deles da base.

 

Marcinho esteve muito participativo e mostrou habilidade e ofensividade. Marcelo, com muita segurança, esteve bem na zaga e deveria ser o reserva imediato – ao invés de Renan Fonseca. Já Matheus Fernandes desfilou seu talento, organizando o jogo a partir da nossa intermediária.

 

Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Marcinho mostrou futebol arrojado e deve ganhar novas chances

 

Sassá, que marcou um gol de oportunismo logo de cara, se mostrou em melhores condições físicas do que o titular Roger e pode recuperar a vaga para os jogos oficiais. PachuLeandrinho se movimentaram bastante e foram opções constantes de diálogo para os laterais.

 

Quem não mostrou bom futebol foi o lateral Gilson, que teve sérias dificuldades defensivas contra um time consideravelmente frágil. A surpresa ficou por conta de Vinicius Tanque, que entrou no decorrer do 2º tempo e, jogando um pouco mais recuado, dristribuiu bons passes e até dribles. Sem dúvidas foi sua melhor atuação nos profissionais, muito acima da sua média.

 

Primeiras impressões

 

A primeira exibição do Botafogo me deixou otimista. Com um elenco mais homogêneo em relação à temporada passada, começamos o ano com possibilidades em todas as posições – embora algumas contratações sejam questionáveis.

 

Ainda teremos, em algum momento, as voltas de Luis Ricardo e Jéfferson, titulares indiscutíveis. Com dores musculares, Canales, João Paulo e Carli não foram a campo – vamos torcer para que sejam incômodos normais do retorno às atividades e não as antigas deficiências do nosso departamento médico.

 

Jair Ventura tem o grande desafio de ter o time pronto e perto do seu potencial já no terceiro jogo oficial da temporada. A missão fica ainda mais difícil levando em conta as mudanças no estilo de jogo e, talvez, no esquema tático. Novas ideias levam tempo para serem adaptadas e consolidadas, mas o time parece ter assimilado bem a ideia inicial e mostrou boa organização.

 

Próximos desafios

 

O Alvinegro volta a campo na quarta-feira, 25, contra o Madureira, em Moça Bonita. Depois, faz seu primeiro jogo no Niltão, dia 28, contra adversário ainda não definido. Finalmente, o Botafogo faz sua primeira grande decisão no dia 1/2, também no Estádio Nilton Santos, diante do Colo-Colo, pela pré-Libertadores.

 

Ficha técnica

 

Time do 1º tempo: Gatito, Jonas, Renan Fonseca, Emerson Silva, Victor Luis; Airton, Lindoso, Bruno Silva, Montillo; Pimpão e Roger.

 

Time do 2º tempo: Hélton Leite, Marcinho, Marcelo, Igor Rabello, Gilson; Dudu Cearense (Bochecha), Matheus Fernandes, Pachu (Vinicius Tanque), Camilo (Fernandes), Leandrinho; Sassá.

 

Gols: Rodrigo Pimpão, aos 8’/1ºT e aos 12’/1ºT; Montillo, aos 41’/1ºT e Sassá, aos 5’/2ºT.

Fonte: Blog Preto no Branco - Pedro Chilingue - ESPN