Organizado, em duas linhas de quatro que se moviam ofensivamente por dentro e pelos lados do campo, o Botafogo venceu o Nacional, em Montevidéu, por 1 a 0, e está a um empate das quartas da Libertadores.

Mais uma atuação segura, com estratégia muito bem desenhada por Jair Ventura, e que acabou colhendo um resultado ainda melhor do que se propusera.

O empate, que já deixaria o time alvinegro na confortável condição de definir a vaga no jogo de volta, se transformou em mais uma vitória _ a sexta em doze jogos do torneio.

Com Matheus Fernandes, Lindoso, Bruno Silva e João Paulo, o Botafogo conseguiu controlar a pressão do jogo, saindo pelos lados e entrando na área com seus volantes.

Assim João Paulo fez o gol único, no primeiro tempo, em escapada de Rodrigo Pimpão nas costas do lateral Fusile. Bruno Silva tentou o arremate e a bola sobrou para JP ajeitar e abrir o placar.

Depois, com Rodrigo Pimpão e Roger apertando a saída de bola, o bloco alvinegro ficou sólido demais, embora ainda assim corresse riscos nas bolas alçadas na área.

Enfim, mais do que o resultado, ficou a postura.

E mais do que a postara, a consciência tática.

O Botafogo chegou a sua sexta vitória na Libertadores, sem favoritismo, e uma vontade imensa de fazer história…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online