Lobo em pele de cordeiro.

Essa é a melhor definição que consigo achar para Maurício Assumpção, ex-presidente do nosso Glorioso.

Nesta terça-feira, ele foi justamente expulso do quadro social do Botafogo através de votação unânime. Improbidade administrativa, prejuízo ao patrimônio do clube, favorecimento a amigos e empréstimo sem destino especificado eram alguns dos sólidos argumentos que pesavam contra o antigo mandatário.

Maurício assumiu o clube com aquele ar de bom moço e botafoguense apaixonado. Por diversas vezes, prometeu títulos e jogadores de “parar o aeroporto”. Na prática, a impactante contratação do craque Seedorf foi a única coisa boa que ele conseguiu realmente concretizar. De resto, foi mais do mesmo: fez pouco, gastou muito e se contentou com migalhas – leia-se, jogadores meia-boca e títulos estaduais.

Enquanto iludia os botafoguenses, Assumpção jogava a culpa dos fracassos na torcida – algo cada vez mais frequente no clube – e gastava mundos e fundos, triplicando a dívida do clube sem sequer construir algo de produtivo como estrutura, time, conquistas ou algo do tipo. No final das contas, quem é que “deu com os burros n’água”, hein, Maurício?

O que eu acho? Eu acho é pouco.

Este senhor é um brincalhão. Deixou o clube atolado em dívidas e com 8 (OITO) meses de salários atrasados, entre jogadores e funcionários. Ser expulso de toda e qualquer coisa ligada ao Botafogo é o mínimo – e até demorou a acontecer. Desejo que ele pague cada centavo de prejuízo que causou e, se for o caso, que seja preso. É o que ele merece.

Para isso, aguardemos o desfecho da auditoria contrata pelo clube em janeiro. A Ernst & Young, gigante do ramo, está investigando a fundo todas as transações e documentos dos seis anos da gestão de Maurício. Torço pra que identifiquem os envolvidos o quanto antes e que as penas sejam severas – além, claro, de benéficas para o Botafogo.

O meu Botafogo não é lugar de covardes. Esse caso serve pra mostrar que General Severiano não aceitará mais gente assim. Esse é o momento de abrir e profissionalizar o clube, visando resultados em campo e saúde financeira, com transparência e qualidade. Não há tempo a perder.

Fonte: Blog Preto no Branco - Pedro Chilingue - ESPN FC