Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Série B

17/06/21 às 19:00 - Do Café

Escudo Londrina
LON

X

Escudo Botafogo
BOT

Série B

13/06/21 às 16:00 - Raulino de Oliveira

Escudo Botafogo
BOT

3

X

0

Escudo Remo
REM

Série B

05/06/21 às 21:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

2

X

0

Escudo Coritiba
CTB

Autuori elogia Honda, revela motivo de substituição e minimiza reação no empate do Botafogo

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Keisuke Honda em Portuguesa x Botafogo | Campeonato Carioca 2020
Vítor Silva/Botafogo

Substituído durante o segundo tempo do empate do Botafogo em 0 a 0 com a Portuguesa, no Luso-Brasileiro, Honda saiu com cara de poucos amigos. O técnico Paulo Autuori minimizou a situação e elogiou o craque japonês, em entrevista à ESPN Brasil.

Autuori explicou que a questão física foi preponderante.

Honda é um grande profissional, ótimo jogador, tem qualidade muito grande e simplicidade, sempre jogando para a frente, querendo fazer a bola chegar o mais rápido possível. Os jogadores já sabem a importância, por termos pouco tempo de trabalho, de darmos prioridade a ter uma posição em relação a quantidade de tempo de treinos e jogos de cada um. Nosso objetivo é equalizar esse tempo. Nenhum jogador gosta de sair, mas isso para mim não quer dizer absolutamente nada. Vou tentar preservar os jogadores sempre, temos outro jogo domingo. São jogos seguidos com pouco tempo de treino. É muito complicado, temos que cuidar – destacou Paulo Autuori.

Banner da loja do FogãoNET para faixa Konichiwa

O treinador classifica a situação como normal e diz que a substituição já estava programada.

– Nenhum jogador gosta de sair, mas no futuro quando passam a ser treinadores entender melhor e tomam essas atitudes. Uma coisa é pensar apenas em você, outra é quando tem grupo de trabalho e responsabilidade com todos tentar criar o mínimo de justiça com tomadas de decisões. Nosso objetivo nesse momento é estar bem atentos, preocupados e ter olhar cuidadoso com o esforço de cada um para que possam render. É uma situação normal.

– Sempre conversamos antes, sempre preparo as coisas. Todos sabiam disso, explicamos quando montamos a equipe. Se eu estivesse do outro lado também gostaria de saber como as coisas acontecem. Dependendo da maneira que gere o grupo, a situação é potencializada ou minimizada – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e ESPN Brasil

Notícias relacionadas
Comentários