Após fechar com cinco reforços ainda em 2019, a diretoria de transição do Botafogo entrou em recesso. Liderados por Carlos Augusto Montenegro, a maioria dos integrantes viajou ou vão tirar uns dias de folga. Isso significa que as negociações estão congeladas até seus retornos.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo

Há uma reunião já marcada para sexta-feira (3) para que haja a retomada dessas negociações. A única pendência que poderá ser resolvida antes disso é uma resposta da Udinese sobre o empréstimo de Felipe Vizeu. É que o centroavante desembarcou na Itália no sábado (28) e tenta conseguir a liberação.

Os demais assuntos só serão retomados a partir de sexta-feira. Isso inclui conversas com Diego Souza e Joel Carli, que estão inicialmente fora dos planos por conta do alto salário.

Cícero também estava nesse grupo, mas chegou a um acordo com o Botafogo. O volante aceitou reduzir o salário para ficar em General Severiano por mais uma temporada. Com vencimento na casa dos R$ 150 mil, o jogador fará parte do elenco em 2020.

Dificilmente isso deverá ocorrer com Diego Souza, que recebe aproximadamente R$ 500 mil. O valor é muito alto para o que deseja o Botafogo. Assim, mesmo que o centroavante reduza em 50% seus vencimentos, eles ainda estarão acima dos R$ 150 mil pretendidos pelo clube.

Carli tem situação mais parecida com Cícero. Ele tem contrato até o fim de 2021 com salário de R$ 230 mil. Além do custo, há outro problema. O argentino não teve uma boa temporada e terminou o ano no banco de reservas. O estafe do argentino tenta achar outro time, mas o alto salário tem atrapalhado.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo

Fonte: UOL