Botafogo se surpreende com crise e aumenta cinco vezes número de seguranças

Compartilhe:

A semana do Botafogo foi bastante conturbada. Insatisfeitos com a má fase do time, os torcedores sequer esperaram o time sair do G-4 para iniciar os protestos, que começaram no desembarque no Rio na segunda-feira. De nada adiantou. A equipe voltou a perder e deixou a zona de classificação para a Libertadores após 29 rodadas. As manifestações das torcidas organizadas surpreenderam o Alvinegro, que aumentou em cinco vezes o número de seguranças no seu dia a dia – passou de dois para dez funcionários. Essa medida será mantida, no mínimo, até o sábado, quando o time medirá forças com o Atlético-PR, no Maracanã.

Os seguranças que passaram a integrar a equipe do Botafogo eram utilizados nos jogos realizados no Engenhão. Eles foram chamados após o clube ser surpreendido durante o desembarque na última segunda-feira, no aeroporto do Galeão. Na oportunidade, funcionários do Fluminense, que estavam no mesmo local, ajudaram os do Alvinegro a manter a ordem no local. Sem muito sucesso, já que o ônibus do time de General Severiano acabou atingido por ovos.

No mesmo dia, os torcedores se dirigiram ao Engenhão e invadiram o estádio, aproveitando-se de uma brecha no portão Sul, aberto para a entrada de um caminhão de obras. Os manifestantes conseguiram chegar ao corredor que dá acesso ao vestiário, encontram com membros da comissão técnica e pediram reunião com os atletas, o que aconteceu em seguida. Mas a trégua não duraria muito tempo.

Após o empate com a Portuguesa e a saída do G-4, torcedores voltaram a protestar e cercaram o ônibus da delegação. Eles foram contidos pela polícia e deixaram o local após arremessarem ovos, o que já havia ocorrido no aeroporto. Na mesma noite, alguns torcedores seguiram para o Engenhão com o objetivo de depredar o veículo. Porém, os seguranças do estádio estavam armados e conseguiram contornar a situação.

Mas eles voltaram ao Engenhão nesta quinta-feira. Os torcedores começaram a gritar palavras de ordem e soltaram morteiros. Um deles explodiu perto de um dos funcionários do Botafogo, que dirigia uma moto dentro do estacionamento. Por pouco o fato não criou um conflito com a Polícia Militar. Um grupo se dividiu dos demais e partiu para o portão Sul, mas a segurança estava reforçada dessa vez e evitou nova invasão.

Ressabiados, mas satisfeito com o resultado desta quinta-feira, o Botafogo manterá o esquema de segurança, no mínimo, até este sábado, quando o time enfrenta o Atlético-PR, no Maracanã, às 19h30. Com 54 pontos, o Alvinegro precisa vencer e torcer para um tropeço do Goiás, com 56, para retornar ao G-4. Somente essa situação aliviaria a ira dos torcedores e, consequentemente, os frequentes protestos.

Fonte: UOL

Comentários