O torcedor carioca Jairo Rueda de Oliveira Guimarães, que faleceu no último sábado (28) após passar mal assistindo à partida entre Brasil e Chile no Mineirão, havia ganhado o ingresso do jogo de um dos seus filhos, para poder comemorar o seu aniversário de 69 anos no estádio. O homem, conforme informações divulgadas pela Secretaria de Estado de Saúde, era diabético e hipertenso.

Segundo o órgão, ele procurou o atendimento do estádio antes dos pênaltis, sendo socorrido e encaminhado para o hospital Life Center, onde deu entrada às 15h39. Entretanto, o torcedor acabou sofrendo uma parada cardiorrespiratória por volta das 17h, não resistindo e falecendo na unidade de saúde.

Na manhã de sábado, Jairo postou uma foto sua em sua página no Facebook segurando o ingresso do jogo. Logo abaixo estão os vários comentários de amigos e familiares desejando saúde e felicidades pelo aniversário.

João Marcello Rangel Barreto, sobrinho do aposentado, também estava no estádio. “Estávamos juntos no estádio, comemorando seu aniversário de 69 anos, assistir ao jogo foi exatamente o presente dado pelo meu querido primo que também estava no estádio”, afirma um post publicado pelo familiar.

A publicação ainda exalta duas paixões do aposentado: o Botafogo e a escola de samba Portela. “Se tratava de uma grande pessoa, sempre cheio de alegria, bom pai, super avô, Tiozão dos amigos e segundo pai dos sobrinhos, amava sua esposa e família acima de tudo… Botafoguense, Portelense, Brasileiro apaixonado por futebol (…) A emoção acabou sendo forte demais e seu enorme coração não aguentou, foi chamado por papai do céu para levar alegria lá para cima”, dizia o texto postado pelo sobrinho.

O neto de Jairo, de 9 anos, também chegou a emocionar os parentes com um texto publicado nas redes sociais. “Ontem, eu achei que o falecimento do meu avô era tudo culpa da Copa. Não era. Ela fez o falecimento ser menos doloroso, tanto para ele quanto para nós. Doloroso mesmo seria vê-lo em uma cadeira de rodas, mal podendo falar, com dor em todo o corpo. A Copa o fez falecer, pelo menos, feliz, alegre. E ele vai, com certeza, espalhar toda esta felicidade no céu”, lamentou o garoto.

Fonte: O Tempo