Campeão, remo do Bota é gerado nas escolas e por indicações

Compartilhe:

Depois três anos, o Botafogo conquistou o campeonato brasileiro de remo, disputado na Lagoa Rodrigo de Freitas, no último final de semana. Sem poder competir no ano passado em São Paulo por falta de verba, o Alvinegro confirmou o favoritismo e levou o caneco dessa temporada em cima do arquirrival Flamengo, segundo colocado. Daqui a duas semanas, o clube deverá levantar o troféu de campeão carioca e, novamente, sobre os rubro-negros, quebrando um jejum de 48 anos. O sucesso em 2013 se passa por dois fatores: a captação de novos talentos e a lei de incentivo fiscal.

Sem muitos recursos destinados à modalidade, os envolvidos com o remo do clube tem uma forma bem tradicional para atrair jovens atletas. Além de receber remadores de outros estados, sem muita expressão, e em busca de um lugar ao sol, o clube vai às escolas públicas e particulares do Rio de Janeiro avaliar possíveis talentos, através de simuladores de barcos onde observam os movimentos de cada garoto e garota. Quando entendem ver uma qualidade diferenciada em algum dos candidatos, o mesmo é convidado para treinar no clube, sem ônus algum.

Outra maneira encontrada para pinçar novos craques é no boca a boca. Em reuniões, cada pessoa ligada ao remo traz alguns amigos para um teste. Se aprovado for, o candidato já se federa, treina e passa a competir.

– Quem se destaca, fica como convidado. Captar jovens é difícil. Fazemos uma peneira e oferecemos o remo de graça. O nosso melhor remador infantil, Gabriel Thuin da Gama, veio da fusão dessas duas maneiras de agir. Além de irmos ao colégio dele, nós pedimos para os amigos do Gabriel, que remam lá no clube, trazê-lo para cá. Ele veio e nesse final de semana vai competir, aos 14 anos, do brasileiro júnior, no skiff B (categoria de 15 e 16 anos). Ele, com certeza, é uma das grandes revelações que temos em todas as categorias – revelou o coordenador técnico de remo do Glorioso, Alexandre “Xoxô”.

A lei de incentivo, cujo benefício fiscal é sobre o Imposto de Renda, permitindo que qualquer pessoa física destine parte de seu imposto (a pagar ou a restituir) para projetos esportivos e paradesportivos, também é considerada um grande “reforço” recebido pelo Botafogo nesse ano. Através desse método, a diretoria pôde adquirir para os remadores barcos e remos mais modernos, além de evitar os atrasos de salários.

– O departamento de remo é um custo muito alto, pois os barcos e remos são caros e quebram com uma certa frequência, principalmente os remos. O Botafogo, através de um trabalho muito sólido, conseguiu muitos recursos por essa lei de incentivo fiscal e, hoje, cada remador tem seu barco. Antes, nós tínhamos que fazer um revezamento de três grupos em um mesmo barco – explicou o antigo timoneiro do clube.

O sucesso de 2013 pode ser maior ainda maior. Nesse final de semana, os alvinegros voltam à Lagoa Rodrigo de Freitas para a disputa do brasileiro júnior. Xoxô se diz confiante na permanência no topo do pódio, especialmente pela evolução técnica de alguns jovens remadores.

– Nossos juniores amadureceram mais nesta temporada. Temos atletas de 15, 16 anos, que serão muito bons. O destaque é o Uncas Batista, formado no clube, e que tem 16 anos. Ele acabou de vir dos Jogos Sul-Americanos da Juventude em Lima, onde ganhou no skiff leve para o Brasil – disse.

Botafogo Campeão Brasileiro de remo (Foto: Satiro Sodré / SSPress)
Muitos dos remadores são descobertos através de indicações de amigos (Foto: Satiro Sodré / SSPress)

Criticas à Confederação Brasileira de Remo

Após o brasileiro júnior deste final de semana e a última regata do estadual, no próximo dia 20 de outubro, a tendência é de que os remadores ganhem um mês de férias para se recuperarem do desgastante calendário. Todavia, uma seletiva para a seleção brasileira pode fazer com que o planejamento seja alterado, algo que incomoda ao coordenador.

– Nós tínhamos um descanso já previsto, mas a confederação quer fazer a seletiva nacional ainda neste ano. Não está decidido se será em novembro. Mas esse é o maior problema no remo, a desorganização da confederação. Se você entrar em qualquer calendário internacional, você verá o calendário definido até os Jogos de 2014, aqui não. A confederação não decidiu ainda. Ia dar férias aos atletas entre o dia 20 de outubro e 20 de novembro, mas, agora, tenho que esperar. A maioria vem de outros estados e este é o tempo de todos reverem suas famílias e descansarem – reclamou Xoxô.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários