O domingo será inesquecível para Carli. Final do Carioca, estreia no Maracanã e a chance de revanche contra o Vasco. Tudo isso com a mulher, Mariela, e os filhos, Avril e Valentín, reforçando a torcida do Botafogo na arquibancada. Com pouco mais de quatro meses no Rio, o zagueiro, que cumpriu suspensão no primeiro confronto da decisão, volta com a responsabilidade de ajudar os companheiros a reverter a derrota de 1 a 0. Sem temer uma eventual disputa de pênaltis, em caso de vitória por um gol de diferença, Carli destaca o poder de superação do time alvinegro.

“Todo jogador de futebol deve estar preparado para enfrentar qualquer situação. É preciso ter calma, jogar com tranquilidade. Teremos noventa minutos para ganhar pela diferença mínima para a disputa de pênaltis. Na semifinal, enfrentamos o Fluminense (que jogava pelo empate) em desvantagem e vencemos. Temos outro desafio e estamos confiantes”, disse o jogador.

Apesar da bagagem acumulada em dez anos de carreira na Argentina, ele não esconde a ansiedade pela estreia no Maracanã. Suspenso, sofreu na condição de torcedor no domingo passado. Concentrado, Carli promete mostrar ao lado de Emerson Silva por qual motivo o Botafogo tem uma das melhores defesas do país, com nove gols sofridos.

“Será muito bonito. É um dos privilégios de jogar futebol. Ter a chance de jogar no Maracanã, cheio de torcedores, em uma final de campeonato. É algo que marca”, garante Carli.

A cada dia mais adaptado ao Rio, Carli sonha com uma vida longa no Botafogo. Ao cruzar diariamente com os painéis com fotos de ídolos multicampeões na história do clube, o argentino sabe o que precisa fazer para ser lembrado no futuro.

Após anular Guerrero e Fred, Nenê entra na mira

Nenê é o nome da maior preocupação da torcida alvinegra. Em uma das poucas brechas que teve no clássico passado, tirou da cartola o cruzamento que originou o gol de Jorge Henrique. Depois do desempenho positivo nos duelos com Guerrero, do Flamengo, e Fred, do Fluminense, o argentino se vê pronto para o próximo desafio.

“Nenê é um grande jogador, como muitos outros do Vasco e do campeonato. Estamos numa das ligas mais disputadas do Brasil. É preciso estar preparado para enfrentar esses grandes jogadores. Tenho certeza de que será uma grande final”, disse Carli.

Com 1,91m, 22 centímetros a mais do que Jorge Henrique, Carli devolve a esperança de uma defesa mais sólida e ainda mais atenta em Nenê & Cia.

Fonte: O Dia Online