Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Taça Rio

09/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Nova Iguaçu
NOV

X

Escudo Botafogo
BOT

Carioca

02/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

0

X

0

Escudo Nova Iguaçu
NOV

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

4

X

0

Escudo Macaé
MAC

Vice do Botafogo cita desigualdade nas cotas de TV com o Flamengo e provoca rival sobre caso Willian Arão

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Carlos Eduardo Pereira, vice-presidente geral do Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Vice-presidente geral do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira criticou a divisão desigual das cotas de televisão do pay-per-view. Segundo ele, a diferença nos valores é o que justifica hoje o Flamengo estar numa condição financeira que o permita a fazer mais investimentos do que os adversários no estado.

Se o Botafogo tivesse recebido os R$ 500 milhões que o Flamengo recebeu, a casa estaria arrumadinha, não estaria passando por essa dificuldade. É muito fácil você dizer que está ótimo recebendo R$ 500 milhões a mais. E você pega o pico das transmissões e não vê essa diferença que justifique no produto televisão – opinou CEP, em entrevista ao jornalista Alexandre Praetzel.

Perguntado por um internauta se o Botafogo deveria brigar por uma melhor divisão das receitas com pay-per-view, o vice-presidente alvinegro concordou plenamente.

– A própria televisão, quando assinou o contrato conosco, não deixou os critérios muito claros sobre a forma de pagamento. Tem a crise também: a TV por satélite está sofrendo o ataque do streaming e de outros meios. Então, eles mudaram alguns critérios de fluxo de caixa que causaram muitas dificuldades. Acho que tem ser revisto e não colocado de forma unilateral como foi – disse.

Provocação ao Flamengo no caso Willian Arão

Carlos Eduardo Pereira falou também sobre o caso Willian Arão. O volante terá de pagar R$ 4,5 milhões ao Botafogo após o clube alvinegro vencer na Justiça um processo pela quebra unilateral do contrato ao fim do ano de 2015.

– Ali foi mais um momento de falta de elegância. Bastava fazer um telefonema para o Botafogo para que aquela situação desagradável não tivesse ocorrido. O Botafogo venceu lá em Brasília e agora estamos aguardando o recebimento. Mais um motivo de que o Botafogo não vai terminar será esse dinheirinho simpático que virá do Willian Arão e de seus patrões – afirmou o dirigente.

Fonte: Redação FogãoNET e Canal do Alexandre Praetzel

Notícias relacionadas
Comentários