A CBF se pronunciou com pesar pela morte nesta quarta-feira de Nilton Santos, ídolo do Botafogo e bicampeão mundial com a seleção brasileira. Na nota publicada em seu site oficial, a entidade máxima do futebol brasileiro também decretou luto no futebol do país e a observação de um minuto de silêncio antes de todas as partidas das competições organizadas por ela.

Aos 88 anos, Nilton Santos lutava contra uma infecção pulmonar e o mal de Alzheimer. O ex-jogador estava internado desde sábado à noite na Fundação Bela Lopes, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro, com complicações respiratórias.

A homenagem, no entanto, veio acompanhada de uma gafe por parte da entidade. Na declaração do presidente José Maria Marin, o nome do ex-jogador apareceu grafado de forma errada: Nilson Santos. Minutos depois, o erro foi corrigido.

Confira a nota oficial original publicada pela CBF:

Nilton Santos: morre a Enciclopédia do Futebol, aos 88 anos

O futebol brasileiro e mundial ficou mais pobre nesta quarta-feira, dia 27 de novembro. Nilton Santos, a Enciclopédia do Futebol, morreu no Rio de Janeiro, vítima de infecção respiratória, em uma clínica em Botafogo.

Carioca da Ilha do Governador, Nilton dos Santos nasceu em 16 de maio de 1925. Bicampeão mundial em 1958/1962, Nilton Santos disputou 86 jogos pela Seleção Brasileira, com 65 vitórias, 11 empates e 10 derrotas, marcando quatro gols. Disputou quatro Copas do Mundo.

Jogador à frente do seu tempo, Nilton Santos era um lateral-esquerdo que já nos anos 1950/1960 tinha como característica ajudar o ataque, com suas investidas pelo lado do campo. Dessa forma, marcou um gol na estreia do Brasil na Copa do Mundo de 1958, na vitória sobre a Áustria por 3 a 0.

Nilton Santos foi considerado por muitos anos como o melhor lateral-esquerdo da história do futebol mundial. Jogador de estilo clássico, daqueles que dificilmente dava “carrinho” para desarmar um atacante, Nilton se gabava brincando com a frase que “futebol foi feito para jogar com de cabeça em pé, não deitado”.

Foi dessa maneira que Nilton Santos desfilou sua categoria pelos gramados brasileiros e do mundo. Ídolo maior do Botafogo, o seu clube do coração e o único de sua brilhante carreira,  Nilton Santos merece todas as homenagens e condolências de todos os brasileiros apaixonados pelo bom futebol.

O presidente José Maria Marin se junta a todos esses brasileiros e envia as condolências a todos os parentes de Nilton Santos.

– Tive o privilégio de ver o Nílson Santos jogar. Um dos maiores do mundo, de todo os tempos, mesmo sendo zagueiro e lateral. Jogava um futebol de elegância e técnica, tinha talento de sobra. O futebol brasileiro está de luto e já decretei a observância de um minuto de silêncio em todas as partidas das competições organizadas pela entidade.

O presidente da CBF decretou o luto e a observância do minuto de silêncio também pela morte dos dois operários no acidente do estádio do Corinthians: Fabio Luiz Pereira, 42 anos, motorista e operador, e Ronaldo Oliveira Santos, 44 anos, montador.

Fonte: Globoesporte.com