Se a cobrança já era grande, Bill entra em campo nesta sexta-feira com a pressão de marcar gols e superar os problemas particulares que o perturbam. Contra o Boa Esporte, às 21h50, no Estádio Nílton Santos, o camisa 9 terá de mostrar que o desequilíbrio que o atrapalha na relação com a ex-mulher não vai influenciar em seu rendimento.

Na quinta, por exemplo, Bill pareceu não ter se abalado com a divulgação, pelo Jogo Extra, do boletim de ocorrência feito por Sabrina de Oliveira Nascimento, sua ex-mulher e mãe de dois de seus filhos, após o jogador ameaçá-la de morte. Em áudio, Bill afirma que vai se matar ou que vai matar Sabrina. Na tentativa de minimizar o episódio e mostrar que o clima não é pesado, jogadores e comissão técnica fizeram graça com o assunto.

— O Bill está rindo e brincando com todos, como sempre. Já falaram até que ele seria preso, mas não aconteceu nada até hoje. Ele brincou: ‘Prometo que não me mato até o jogo’ — relatou o treinador René Simões.

Se a ameaça não ganhou coro no clube, a delegada Nagya Cassia Andrade ofereceu proteção policial a Sabrina depois da divulgação do que foi dito por Bill. Responsável pelo caso na Delegacia da Mulher de Bragança Paulista, no interior de São Paulo, onde a ocorrência foi registrada, a delegada levou em conta outros três boletins de ocorrência feitos por Sabrina, entre 2011 e 2012. Uma delas foi de uma suposta agressão cometida por Bill.

— A delega me ligou, pediu a gravação do áudio e perguntou se eu queria proteção. Apesar de estar longe, entre aspas, eu me sinto insegura. Moro num condomínio de apartamentos fechados, mas mesmo assim eu pedi a proteção — disse Sabrina.

Bill tem evitado falar com a imprensa nas últimas semanas. No máximo, entrevistas após as partidas. O jogador chegou a desabafar com Sabrina sobre sua preocupação com o desejo do Botafogo de contratar outro atacante. Para não perder a vaga, a receitar é fazer gols.

Fonte: Extra Online