A sexta-feira foi conturbada no Botafogo. Nessa semana, a diretoria pagou a CLT e parte dos direitos de imagem aos jogadores. Entretanto, Marcelo Mattos e Henrique não receberam integralmente, o que gerou um desconforto no ambiente, pois o volante reclamou no vestiário diante dos companheiros e da comissão técnica.

Hoje, o presidente Carlos Eduardo Pereira e o empresário de Marcelo Mattos, Carlos Leite, se reuniram. A proposta oferecida ao agente para rescindir o contrato do volante foi de pagar parcelado até junho de 2016. Com a saída do Mattos, a situação de Aírton está indefinida. O Botafogo quer propor um novo contrato, com um salário menor. Caso o volante aceite, ele voltará a ser utilizado.

É bom mencionar que nenhum jogador contratado pela atual gestão, com o teto salarial estipulado à realidade financeira do clube, irá passar pela situação. O reajuste se deve por causa de uma espécie de “herança” da diretoria anterior.

Dentro das quatro linhas, o Botafogo volta a campo somente na próxima semana. Na sexta-feira, o Alvinegro enfrenta o Boa Esporte no Engenhão, às 21h50.

Fonte: Site da Rádio Tupi