Edinho destaca ironia: Fla empatou quando Bota se fechou

Compartilhe:

 Aos 48 minutos do segundo tempo, o técnico Oswaldo de Oliveira colocou três zagueiros em campo, quando tirou o volante Gabriel para a entrada de Antônio Carlos, para segurar a vitória sobre o Flamengo, neste domingo, no Maracanã. No entanto, apenas um minuto depois, o Flamengo encontrou o gol de empate, com Elias. Para o comentarista Edinho, o resultado foi irônico para o Alvinegro.

– O primeiro tempo foi do Botafogo, jogou muito melhor. Mas, no segundo tempo, o Botafogo não se encontrou. O Flamengo veio na pressão, meio desorganizado, jogando muitas bolas na área, mas o Botafogo não conseguia sair dessa situação. Foi uma ironia do destino. No momento em que o Botafogo colocou um terceiro zagueiro, para se fechar, mas abriu espaço e deixou o Elias entrar e fazer o gol – afirmou Edinho, no “Troca de Passes”.

Sobre o gol do Botafogo, marcado aos 21 minutos da etapa inicial, o comentarista viu falha na marcação do Flamengo. Após cobrança de Seedorf, Rafael Marques se antecipou e mandou a bola para o fundo da rede. Para o comentarista Roger Flores, o maior erro foi do zagueiro Wallace, que não conseguiu acompanhar o atacante do Botafogo.

– A falha de marcação é de quem está marcando o Rafael Marques dentro da área. O Rafael Marques sai da segunda trave, faz o giro e encontra a bola na marca do pênalti.

Edinho ainda comentou a atuação regular de Carlos Eduardo, do Flamengo. O comentarista lembrou que o meia foi comandado por Mano Menezes no Grêmio, mas acredita que, seis anos mais tarde, os problemas físicos e mudanças táticas atrapalham seu rendimento no Rubro-Negro.

– O Mano conhecia outro Carlos Eduardo. Este agora é bem diferente, ficou muito tempo parado. Mais um problema é que, na Europa, ele jogou em várias posições, até de volante. Isso descaracterizou o jogador. Para completar, parece que não teve uma vida muito regrada quando chegou ao Rio de Janeiro.

Fonte: Sportv.com

Comentários