As alterações no Botafogo são vistas claramente fora de campo, mas que terão reflexo daqui a pouco nos gramados. A começar pela reconstituição da diretoria. Com a implementação do Comitê para decidir as contratações, o poder se descentralizou, colocando mais ideias. Antes, Anderson Barros e Nelson Mufarrej eram os únicos a tratar as negociações. Com estas mudanças, o Botafogo já viu o reflexo no mercado. Até o momento, o Glorioso foi o que mais contratou em comparação com Flamengo, Fluminense e Vasco.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo

Antes de chegar nas contratações para dentro de campo, o clube priorizou um personagem para tratar das negociações: Valdir Espinosa, que marcou história no Alvinegro, em 1989, quando conquistou o Campeonato Carioca. Ele chegou para ficar no lugar de Anderson Barros. Junto dele, Ricardo Rotenberg, Manoel Renha e Carlos Augusto Montenegro também auxiliam na formação do grupo.

Depois disso, a diretoria preferiu olhar para o ataque, que foi bem apático na temporada, com apenas 62 gols marcados. Com isso, reforços foram chamados. Pedro Raul, que foi um dos destaques do Atlético-GO, com 14 gols marcados, em 47 jogos fechou com o clube. Além dele, o peruano Alexander Lecaros, também atacante, chega para reforçar o setor ofensivo. E um nome que está sendo ventilado é Felipe Vizeu.

A questão defensiva também foi priorizada já que tomou 64 gols em toda a temporada, sendo 59 partidas. O primeiro reforço para o Botafogo foi Guilherme Santos. O lateral-esquerdo estava no Paraná, mas tem os seus direitos vinculados ao Tombense. Em 2019, ele atuou em 45 partidas e marcou dois gols. Na zaga, Ruan Renato chega ao Figueirense e fechou contrato de um ano. E para ajudar também na defesa, Thiaguinho, que jogou no Oeste, chega para fazer a volância da equipe.

Além das contratações, o Botafogo busca se desfazer dos “medalhões”. Leo Valencia deixou General Severiano na semana passada e foi apresentado no Colo Colo. Cícero e Diego Souza devem seguir o mesmo caminho. Vale salientar novamente: é mudança dentro e fora de campo.

Com esses nomes, o clube de General Severiano ultrapassa Flamengo, Vasco e Fluminense no número de contratações até o momento. O Rubro-Negro fechou com o zagueiro Gustavo Henrique, que estava no Santos, já anunciou Pedro Rocha para o ataque e com a jóia do Náutico, Thiago, ficando com 70% dos direitos do atleta.

O Tricolor fechou apenas com Odair Hellmann, novo treinador para a equipe na próxima temporada. Porém, renovou com Pablo Dyego e contratou emk definitivo o lateral direito Gilberto. Já no Cruz-Maltino, tambem só contratou Abel Braga para comandar a equipe.Enquanto isso, as negociações para renovar com alguns atletas, como Guarín, Jordi e Danilo Barcelos, seguem em negociação.

Deste modo, pode-se notar que o Botafogo pretende fazer alterações drásticas na equipe para conseguir fazer um 2020 bem diferente do que fez em 2019. Como se diz no ditado popular: águas passadas. A estrela solitária está fazendo esforço para brilhar e mostrar a sua força.

Fonte: Terra