Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

X

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

10/04/21 às 21:05 - Raulino de Oliveira

Escudo Volta Redonda
VRE

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

04/04/21 às 17:00 - Giulite Coutinho

Escudo Botafogo
BOT

1

X

1

Escudo Portuguesa
POR

Como garoto de favela torcedor do Botafogo fez ex-jogador da NFL se apaixonar pelo clube e virar sensação

0 comentários

Compartilhe

Freddie Mitchell, ex-Philadelphia Eagles, da NFL, pesca na Flórida com a camisa do Botafogo
Reprodução/Instagram

Talvez no começo da semana muita gente não conhecesse Freddie Mitchell. Mas o ex-jogador da NFL, que atuou como wide receiver pelo Philadelphia Eagles entre 2001 e 2004, conseguindo mais de 1.200 jardas recebidas e cinco touchdowns, ficou famoso entre os torcedores do Botafogo no início da semana ao postar uma foto pescando com a camisa do clube.

De início, os torcedores acharam que havia sido uma mera coincidência a camisa do Botafogo com um peixe, que faz alusão à fatídica imagem de Túlio Maravilha em 1995, época da decisão do Campeonato Brasileiro vencida pelo clube carioca diante do Santos.

“Eu sempre vi essa foto (do Túlio) e não sabia a paixão por trás dela. Eu entendia que era um símbolo, mas a paixão por trás, não”, disse Mitchell, ao ESPN.com.br.

“Acharam que eu não sabia sobre 95, sobre a história, mas eu conhecia futebol porque joguei com Bocanegra, Cobi Jones (ex-Vasco). Eu fui para UCLA porque eles tinham um time de futebol melhor. Eu sabia tudo sobre o time de 95 do Botafogo.”, completou.

Mitchell é um amante da cultura brasileira, arriscando até frases em português como “oi, tudo bem?” ao atender o telefone na ligação que originou a entrevista. Segundo o próprio, ele já veio ao Rio cerca de 30 vezes, quase sempre no Carnaval, onde chegou a ficar até no camarote da Brahma na Marquês de Sapucaí, na primeira década dos anos 2000.

“Minha offseason (férias) eram sempre no Brasil”, contou Mitchell, aos risos.

Mas de onde surgiu a paixão pelo Botafogo?

Nas muitas vezes em que esteve no Rio de Janeiro, Mitchell visitou as favelas da cidade. E foi lá que sua paixão pelo Botafogo começou.

“Quando fui nas favelas, vi uma criança de uns 10, 12 anos sozinha vestindo uma camisa do Botafogo. A criança, a paixão que ela tinha, a expressão na cara dela, me cativou”, relembrou. “As crianças me chamavam de Freddinho”.

E a camisa do Botafogo do ex-jogador da NFL foi um presente de outros moradores da comunidade. “Uns caras nas favelas viram isso e me deram como presente”.

“Isso era o que eu queria nessa entrevista, sempre quis fazer parte de algo, meus fãs dos Eagles têm muito amor, mas no futebol são mais fanáticos. Eu queria uma sequência do mundo do futebol, eu queria fazer parte dessa familia, estive em jogos e vi como é eletrico. A NFL não se compara com isso”, disse Mitchell, que pede aos seus fãs para lhe darem apoio e o seguirem no Instagram.

Em outro post em sua rede social, Mitchell enfatizou, em português seu amor pelo Botafogo.

“Gostaria de informar a todos que não é tudo obra de um acaso e que me orgulho em dizer que o meu clube do coração no Brasil é de fato o próprio alvinegro! Não acompanho tanto os jogos, mas já assisti a inúmeros vídeos com lances antigos de Garrincha, Nilton Santos e até mesmo Didi! Sei que todos estes foram grandes jogadores e ídolos da incrível história do clube. Sou um fã do Botafogo. Como ex-jogador da NFL e do Philadelphia Eagles acredito que o Botafogo Futebol e Regatas ainda terá uma história gloriosa pela frente! Assim como na própria pescaria, há de ter paciência e perseverança para se pescar o peixe grande! E logo logo o time pescará o seu!”, disse.

View this post on Instagram

?????Eu gostaria de agradecer a todos os botafoguenses e fãs brasileiros pelo carinho e suporte que tem demonstrado após eu ter postado uma foto com a camisa do @botafogo! Gostaria de informar a todos que não é tudo obra de um acaso e que me orgulho em dizer que o meu clube do coração no Brasil é de fato o próprio alvinegro! Não acompanho tanto os jogos, mas já assisti a inúmeros vídeos com lances antigos de Garrincha, Nilton Santos e até mesmo Didi! Sei que todos estes foram grandes jogadores e ídolos da incrível história do clube. Sou um fã do Botafogo e andei conversando com o @carlosegert e Fernando Constanza, eles contaram da paixão que todos os alvinegros possuem pela camisa 7 e pela superstição! Como ex-jogador da NFL e do Philadelphia Eagles acredito que o Botafogo Futebol e Regatas ainda terá uma história gloriosa pela frente! Assim como na própria pescaria, há de ter paciência e perseverança para se pescar o peixe grande! E logo logo o time pescará o seu! #botafoguensedocoração #soubotafoguense #amoralvinegro #botafogo #campeonatobrasileiro #mitchellbotafoguense #riodejaneiro #carioca #futebolbrasileiro #campeonatocarioca #espnbrasil #teamofogo #eninguemcalaessenossoamor #locoabreu #garrincha #niltonsantos #brasil @adidasbrasil @umbrobrasil @foxsportsbrasil @pumabrasil @espnbrasil @mizunobrasil #adidasbrasil #nikebrasil #futbolbrasil #pumabrasil #umbro #umbrobrasil  #instabrasil ???? @fernandocostanza_

A post shared by Freddie Mitchell (@fmitchell84) on

Trabalho atual

Fora dos campos da NFL desde 2005, quando esteve com os Eagles no Super Bowl em que perdeu para o New England Patriots de Tom Brady, Mitchell atualmente se dedica a um projeto pessoal.

Ele tem um espaço de tratamento de saúde mental de atletas na Filadélfia.

“O Super Bowl daquele ano foi o q me levou para saúde mental. Eu nunca tive a oportunidade de mostrar meu trabalho, era um trabalho de time, ajudava o Terrell Owens a brilhar. Eu era o Robin e ele era o Batman. É triste porque sucesso é situacional, você tem outras pessoas que fazem essa escolha que não pode fazer sozinho”, explicou.

Carnaval melhor que o Super Bowl

O norte-americano de 41 anos pensa em voltar ao Brasil num futuro próximo, assim que a pandemia passar, e revelou até um convite do próprio Botafogo.

“Eu quero voltar há um tempo. O Botafogo me convidou para ir a um dos jogos, eu quero muito experenciar isso de novo. Eu joguei no Super Bowl e não achei a sensação melhor do que o Carnival e o futebol brasileiro.

Fonte: ESPN Brasil

Comentários