O Botafogo iniciou o Campeonato Brasileiro com uma campanha surpreendente. Mesmo apostando em um técnico novato após decepcionar nos primeiros meses da temporada, o time mostrou nova cara e conquistou pontos importantes na principal competição do ano.

O time foi para o recesso da Copa América com clima de otimismo. Havia a expectativa que Eduardo Barroca conseguiria consertar alguns erros apresentados nos primeiros jogos já que teria um bom tempo de treinamento. O problema é que o Botafogo conseguiu entrar em crise mesmo sem jogar futebol.

Com dificuldades financeiras, o Botafogo viu o clima do grupo ficar delicado após os jogadores externarem a insatisfação com os salários atrasados. São dois meses e ainda não há uma expectativa de quando isso será resolvido, apenas uma promessa de que a diretoria corre contra o tempo para sanar o problema.

Portanto, se antes do recesso os problemas eram apenas dentro de campo, agora as dificuldades são bem maiores. Prova disso é que os jogadores não têm dado mais entrevistas coletivas – a última foi de Fernando, no dia 1º de julho. Desde então, os atletas não tem se comunicado com a torcida em forma de protesto.

No último sábado haveria uma tarde de autógrafos com Carli e Gabriel no estádio Nilton Santos. Os jogadores também se recusaram a fazer a atividade até que os salários sejam colocados em dia pela diretoria do Botafogo.

Fonte: UOL