Os finalistas da Taça Libertadores de 2018 só serão conhecidos no fim do ano que vem, mas o estádio que abrigará a grande decisão já foi escolhido: o Maracanã. Quem garante é a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), decidida a mudar o atual regulamento, que prevê jogos de ida e volta na finalíssima.

A promessa de que o Maracanã abrigará a disputa pelo título em 2018 foi feita pelo presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, durante reunião com os 20 clubes da Série A do Brasileiro na sede da CBF, nesta segunda-feira. O encontro ocorreu para discutir a comercialização dos direitos internacionais de transmissão, entre outras coisas.

A ideia da entidade sul-americana era mudar o regulamento já na edição de 2017, mas não houve tempo hábil para garantir a realização da final em jogo único. Se a promessa em relação ao Maracanã se confirmar para 2018, haverá um rodízio de sedes e países em relação à decisão para os anos seguintes.

O presidente da Conmebol, que esteve acompanhado de toda a sua cúpula, também revelou ter sido contrário à decisão pesada da Comissão Disciplinar ao Palmeiras por causa da guerra em Montevidéu contra o Peñarol. Porém, o dirigente alertou que não tem qualquer influência sobre as decisões do órgão – o Verdão jogará sem torcida nas três próximas partidas como visitante, enquanto Felipe Melo pegou seis jogos de suspensão.

A reunião contou com a presença de 18 dos 20 presidentes dos clubes da Série A. As exceções foram Leco, do São Paulo, e Roberto Andrade, do Corinthians. O presidente tricolor alegou estar muito resfriado, enquanto o alvinegro não apresentou justificativa para a ausência.

O encontro serviu para que alguns times discutissem negociações, como Vitória e Cruzeiro em relação a Neílton. O presidente santista Modesto Roma Júnior chegou a brincar com o atleticano Mário Celso Petraglia sobre a possibilidade de uma troca dos treinadores – Paulo Autuori e Dorival Júnior – no fim do ano. No dia seguinte ao papo, Autuori deixou de ser o técnico e virou o diretor do Furacão, abrindo espaço para Eduardo Baptista.

Em relação à discussão sobre venda dos direitos internacionais de transmissão, houve uma consternação com a notícia de que o negócio foi fechado por apenas US$ 15 milhões. O valor é considerado irrisório e sobrou para a Globo, responsável pela quantia pequena. Detentora dos direitos, a emissora vende para ela mesmo, já que os canais por assinatura internacionais são dela.

Fonte: Blog do Jorge Nicola - Yahoo! Esportes