Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil é tão importante para Botafogo em 2021 quanto Série B

4 comentários

Compartilhe

Copa do Brasil é tão importante para Botafogo em 2021 quanto Série B
Vitor Silva/Botafogo

É indiscutível que o 2021 do Botafogo gira em torno da Série B. Retornar à elite do futebol é a prioridade de dirigentes e, claro, de torcedores. Mas um olhar para o ano passado, mais especificamente para o Cruzeiro, mostra que a volta de um clube tradicional à primeira divisão deixou de ser favas contadas. Com a queda abrupta nas receitas de televisionamento — acentuada nas últimas edições —, as finanças se firmaram como um adversário mais impiedoso do que muitos dos enfrentados nos gramados. É neste sentido que a Copa do Brasil e suas gordas premiações podem viabilizar a temporada alvinegra. Uma caminhada que começa nesta quarta, às 21h30, contra o Moto Club, em São Luís.

Na semana passada, a CBF divulgou os valores de premiação da edição 2021 da Copa do Brasil. Um clube que começa a disputar o torneio desde sua primeira fase (caso do Botafogo), pode faturar até R$ 73,6 milhões caso seja campeão. Isso só é possível porque os alvinegros ficaram no chamado pote 1 do sorteio, que reúne os 15 primeiros colocados do ranking nacional de clubes da CBF. O Vasco, em 16º, foi parar no pote 3, que prevê prêmios de participação menores nas duas primeiras fases da competição.

Para se ter uma ideia da diferença que a Copa do Brasil pode fazer para o ano do Botafogo, basta ter em conta que sua premiação equivale a quase dois terços do prejuízo estimado pelo clube com o rebaixamento. A previsão inicial da nova diretoria é de R$ 100 milhões a menos em relação ao que faturaria se tivesse conseguido manter o time na elite. O novo orçamento, já contando com a nova realidade alvinegra, foi concluído na semana passada e aguarda parecer do Conselho Fiscal para ser votado no Deliberativo.

De todas as perdas, a mais significativa é a de televisionamento. Pelo Brasileiro 2020, o Botafogo só teve direito às duas primeiras cotas, que se aproximam dos R$ 40 milhões. A terceira, diretamente ligada à performance, não cai na conta de nenhum dos quatro rebaixados. Na Série B, o faturamento será ainda menor. O clube precisa optar entre o valor fixo pago pela CBF (de cerca de R$ 8 milhões) ou o do pay-per-vew, que varia de acordo com as assinaturas. Mas os impactos se estendem também aos patrocínios, já que os espaços no uniforme também se desvalorizam com a queda.

Mesmo que não seja campeão, o Botafogo pode lucrar com a Copa do Brasil. E o melhor exemplo também vem do ano passado. Por ter chegado às semifinais, o América-MG embolsou R$ 17,6 milhões em premiação. É bem mais do que o clube de General Severiano faturou com venda de ingressos em 2019 (R$ 10,6 milhões), última temporada com público nos estádios do início ao fim.

Só por disputar a primeira fase, os alvinegros já têm direito a R$ 1,15 milhão. Se passarem pelo Moto Club, abocanham mais R$ 1,35 milhão. Este dinheiro já pagaria uma folha salarial da equipe de 2020, que chegou ao fim da temporada em R$ 2,4 milhões.

Nesta fase, o duelo é em partida única. O adversário tem a vantagem de jogar em casa, mas o Botafogo avança com um empate.

Fonte: O Globo Online

Comentários