Embora tenha adotado sigilo absoluto nas negociações, o Cruzeiro vem tentando nas últimas horas um acordo para anunciar Ricardo Gomes como seu novo treinador. Desde o início, o comandante era o segundo da lista de preferidos do presidente Gilvan de Pinho Tavares, mas uma declaração em 29 de abril, quando o técnico do Botafogo ressaltou seu desejo de permanecer em General Severiano, esfriou o desejo celeste. Porém, diante do não de Jorginho e Marcelo Oliveira, Gomes voltou a ganhar muita força na Toca da Raposa II.

O Superesportes apurou que Ricardo Gomes foi contatado pela cúpula cruzeirense, mas não se posicionou e pediu um prazo para pensar sobre o que lhe foi ofertado. No domingo, ele decide o Campeonato Carioca com o Vasco – perdeu a primeira partida por 1 a 0. Na quarta-feira, o vice-presidente do Cruzeiro, José Francisco Lemos, já dizia que as decisões dos estaduais estavam atrasando negociações com técnicos.

“Claro que estamos preocupados com a demora, mas o momento é difícil. Temos nossas opções, mas os treinadores estão disputando as finais dos regionais e não querem abrir mão dos compromissos que assumiram”, disse.

Na semana passada, Ricardo Gomes foi taxativo: “Não recebi nada do Cruzeiro e meu pensamento está no Botafogo. Vou ter um ano de 2016 todo alvinegro. O Cruzeiro é um grande clube e tem grandes profissionais no mercado”, disse. Já nessa sexta-feira, em entrevista coletiva, o técnico adotou discurso bem mais comedido. “Estamos em uma final de Carioca. É meu prazer agora (…) Então não cabe falar do Cruzeiro em cima desta final”.

Procurado, o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, disse desconhecer as tratativas entre Ricardo e Cruzeiro. “O Botafogo não foi procurado, muito pelo contrário. O que o Ricardo tem dito é no sentido contrário disso. Não acredito nisso. Pode ser um boato de extremo mau gosto, porque só o fato de se cogitar um treinador que está empregado, num time que está decidindo campeonato, é falta de ética. Não acredito que a diretoria do Cruzeiro se prestaria a esse papel”.

Gerente de futebol do Botafogo, Antônio Lopes adotou o mesmo discurso. “Não sei de nada sobre esse interesse do Cruzeiro e é até uma surpresa para gente. Deve ser mentira. Ricardo tem contrato até o fim do ano”, pontuou.

Outras opções

Receosa com a possibilidade de Ricardo Gomes seguir no Rio de Janeiro, a diretoria do Cruzeiro trabalha outros nomes paralelamente. O segundo na lista de preferência, conforme apurou a reportagem, também é brasileiro. Trata-se de Roger, do Grêmio, eliminado nessa quinta-feira da Copa Libertadores após nova derrota para o Rosario Central, da Argentina. Uma negociação também é vista como complexa.

A terceira via do Cruzeiro é o colombiano Reinaldo Rueda. Um dirigente do Cruzeiro esteve na Colômbia, em contato com o treinador, e apresentou o projeto celeste. Na terça-feira, porém, o Atlético Nacional venceu o Huracán e se classificou para a próxima fase da Copa Libertadores. Ele teria mostrado interesse mesmo habilitado para uma nova fase da competição, mas os contatos se esfriaram.

A última opção dessa lista é uma novidade. Trata-se de Marcelo Gallardo, do River Plate, eliminado na quarta-feira da Libertadores depois da vitória por 1 a 0 sobre o Independiente del Valle, no Monumental de Nuñez. O comandante argentino, no entanto, ainda não foi contatado pelos dirigentes celestes.

Fonte: Superesportes