Há 17 dias, uma derrota nos pênaltis para o Bahia impediu que o Botafogo avançasse às quartas de final da Sul-Americana. Pois neste sábado, às 16h, as duas equipes voltam ao mesmo palco do duelo mais recente: o Nilton Santos. Desta vez, a vitória vale um passo a mais na luta contra o rebaixamento, já que apenas um ponto separa os dois times.

E, pelos três duelos já disputados este ano, a expectativa é de um jogo com gols logo mais. No dia 10 de junho, no primeiro confronto, pelo Brasileiro, as duas equipes ficaram no 3 a 3, em Salvador, com Kieza, Leo Valencia e Aguirre marcando para os visitantes. Já pelo torneio continental, foi uma vitória para cada por 2 a 1. Ou seja, 12 gols em três jogos, média de quatro por partida.

Pimpão, que marcou um em cada jogo da Sul-Americana, é o “artilheiro” alvinegro na disputa particular com o Bahia.

Para esta partida, Zé Ricardo não poderá contar com o zagueiro Carli e o volante Matheus Fernandes, suspensos. Eles deverão ser substituídos, respectivamente, por Marcelo Benevenuto e Jean. Já quem tem volta assegurada é o lateral-direito Marcinho, que cumpriu suspensão no 0 a 0 com o Ceará.

Nesta sexta-feira, o técnico fez mistério na lateral esquerda, onde o mais cotado é Gilson:

— O Moisés, apesar de todo o tamanho e força, tem só 22 anos. Tem um potencial incrível, confio muito nele. A gente precisa promover justiça, é importante que todos entendam que ninguém tem vaga cativa.

No ataque, Pimpão e Erik disputam a vaga ao lado do camisa 9, Kieza.

Chega de empatar!

Diante de um rival direto na luta contra o rebaixamento, o Alvinegro tem 35 pontos, contra 34 do Bahia, todos no Botafogo têm a consciência da importância da vitória contra o Tricolor. Principalmente porque o Alvinegro vem de três empates.

— É um confronto direto, estamos encarando como uma verdadeira decisão. Eles têm uma equipe forte, na Sul-Americana já havíamos comentado que a pontuação no Brasileiro não refletia o rendimento deles — apontou o técnico Zé Ricardo, que acredita ter tirado lições dos outros jogos contra o rival.

O excesso de empates (11, maior número na competição) também é motivo de preocupação para o comandante alvinegro:

— Aqui, contra Cruzeiro (1 a 1), Vasco (1 a 1) e São Paulo (2 a 2), a gente teve chance de vencer. Contra Ceará (0 a 0, fora), o sentimento é de que ganhamos um ponto. Vai muito do jogo— disse o treinador, que ainda deu a receita para conquistar a nona vitória em 30 jogos no Brasileiro:

— Vamos procurar vencer pela organização e merecimento. Esperamos contar com a nossa torcida, é importante para a sequência da competição.

Zé Ricardo descarta qualquer tipo de revanche contra seu algoz na Sul-Americana:

— Nosso sentimento está todo voltado para o Brasileiro, uma partida fundamental. Os nossos atletas estão mais do que conscientes para esse jogo.

Fonte: Extra Online