Não tem sido simples para o Botafogo colocar a bola para a rede. A esta altura do Campeonato Brasileiro, com a zona do rebaixamento no encalço, a pressão é grande, mas a torcida alvinegra espera que o quinto pior ataque da competição dê um jeito de superar Cássio neste domingo, em duelo diante do Corinthians, no Nilton Santos, pela 32ª rodada.

O torcedor mais pé no chão vai lembrar da dificuldade que foi vazar a meta de Cássio no 1º turno, quando o time ainda era comandado por Marcos Paquetá. Na ocasião, o Corinthians venceu por 2 a 0 e o goleiro corintiano realizou oito defesas, sendo quatro consideradas difíceis, de acordo com o Footstats.

E, se hoje, mesmo em situação trôpega na tabela, o Corinthians tem média de menos de um gol por jogo no Brasileirão (30 em 31), muito se deve ao Cássio, que, em 20 partidas realizadas, levou 19 bolas na rede. Em um breve levantamento feito, há a constatação de uma leve reincidência de gols sofridos já perto da pequena área do camisa 1 do Timão. Ou seja, o fator coletivo será fundamental para a criação de jogadas a fim de derrubar o paredão.

– Acho o Cássio um dos maiores goleiros hoje do futebol brasileiro. Um cara vitorioso com o Corinthians, experiente, gosto da maneira que ele joga, trabalha. Vai ser um parada difícil para os nossos centroavantes, mas eles já enfrentaram grandes goleiros e estão preparados para fazer um grande jogo domingo – salientou Gatito Fernández, um trunfo do Glorioso que retorna à meta neste domingo, depois de mais de seis meses distante por lesão no punho direito.

Gatito citou os centroavantes do Botafogo. Resta saber se Zé Ricardo escalará Brenner ou Kieza, visto que o último, com uma tendinite do tendão de Aquiles do pé esquerdo, ainda é dúvida. Em 2017, o primeiro, como já destacado na edição do LANCE! de ontem, abriu o caminho da vitória sobre o Corinthians, também no Niltão (2 a 1). Seja quem for escalado por Zé, mesmo diante das dificuldades, o momento é de superação em prol de uma vitória imprescindível.

Fonte: Terra