Em busca de retomada de rumo, Botafogo encara o Náutico, que mira sobrevida

Compartilhe:

Há cinco jogos sem vencer, o Botafogo vai até a Arena Pernambuco, casa do Náutico, nesta quarta-feira, às 21h50m, para tentar se reencontrar no Campeonato Brasileiro. Se a chance de disputar o título ficou para lá de remota, conquistar uma vaga na Libertadores virou questão de honra. Em quarto lugar com 43 pontos, a equipe já “queimou a gordura” que tinha e precisa vencer para manter os concorrentes sob controle. Para este duelo, o Alvinegro não terá o técnico Oswaldo de Oliveira, que teve uma arritmia cardíaca durante a última rodada e ficará em repouso.

O Náutico vinha vivendo seu melhor momento na Série A – uma sequência de dois empates e duas vitórias – quando foi goleado pelo Cruzeiro por 4 a 1, na última rodada. Para manter o sonho em escapar do rebaixamento vivo, o Timbu precisa voltar a fazer bons jogos. Para enfrentar o Botafogo, o clube pernambucano tem desfalques e retornos na equipe.

O PremiereFC 5 exibe o jogo, que será acompanhado pelo GLOBOESPORTE.COM em Tempo Real.
header as escalações 2

Náutico: o técnico Marcelo Martelotte ganhou a oportunidade de contar com as voltas do lateral-direito Maranhão e do volante Martinez. Na zaga, ainda existe uma dúvida: João Filipe ou Jean Rolt podem compor a dupla defensiva ao lado de William Alves. Dessa forma, o Timbu entrará em campo com: Ricardo Berna; Maranhão, João Filipe (Jean Rolt), William Alves e Bruno Collaço; Elicarlos, Derley, Martinez e Morales; Maikon Leite e Olivera.

Botafogo: a equipe terá algumas alterações para esta partida. Após cumprirem suspensão, Bolívar e Edilson estão de volta. Elias e Hyuri, liberados pela preparação física, também ficam à disposição. No gol, Renan é o substituto de Jefferson, que está com a seleção brasileira. A provável escalação do Alvinegro é: Renan, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Renato, Seedorf, Hyuri e Rafael Marques; Elias.

quem esta fora (Foto: arte esporte)
Náutico: o time não vai ter o volante Helder, com uma luxação no ombro direito; o volante Dadá, que sofreu uma entorse no tornozelo direito; o meia Tiago Real, se recuperando de dores lombares; o atacante Rogério, que se recupera de lesão na coxa direita e, de última hora, o zagueiro Leandro Amaro sentiu dores no púbis. Todos estão no departamento médico.

Botafogo: além de Jefferson e Lodeiro, que estão com a seleções brasileira e a uruguaia, respectivamente, a equipe não poderá contar com Gabriel, que tem uma lesão na coxa direita. Cidinho e Lucas se recuperam de cirurgia e ainda não têm previsão de retorno.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Náutico: Auremir, Jean Rolt, Leandro Amaro e William Alves.

Botafogo: Dória, Elias, Gilberto, Henrique, Lucas, Marcelo Mattos, Rafael Marques, Renan e Seedorf.

header o árbitro (Foto: ArteEsporte)

Marcos Andre Gomes da Penha (ES) apita o jogo, auxiliado por Luis Carlos Camara Bezerra e Broney Machado. O árbitro atuou em quatro partidas deste Brasileiro, mas nenhuma que envolvesse Náutico ou Botafogo. Ele tem média de 6,3 cartões amarelos e já mostrou o cartão vermelho uma vez. Marcos André ainda marcou um pênalti e tem média de 36 faltas assinaladas por confronto. O campeonato tem média de 4,4 cartões amarelos e 0,3 cartões vermelhos. São 34,7 faltas em média por partida e 58 pênaltis no total.

header_estatisticas (Foto: arte esporte)

Náutico: nos últimos cinco jogos, o Náutico empatou dois, venceu dois e perdeu um. Estarão em campo duas das seis equipes que mais sofrem finalizações no campeonato. O Náutico é a que mais permitiu essas conclusões a seu gol (394). Dessas, 35,3% foram certas. Levou 45 gols. E o goleiro fez 40 defesas difíceis. Um dos motivos é que o Timbu é o oitavo time que menos vezes roubou a bola de adversários (339 vezes). Em sete confrontos no Brasileirão com mando da equipe pernambucana na história, foram quatro vitórias do Náutico e duas do Botafogo.

Botafogo: nos últimos cinco jogos, o Botafogo perdeu quatro e empatou um. É a sexta equipe que mais sofreu finalizações (329). Foram 39,5% certas. Levou 30 gols. E o goleiro também fez 40 defesas difíceis. Curiosamente, é a sétima equipe que menos vezes roubou a bola de adversários (333 vezes).

Fonte: Globoesporte.com

Comentários