Armas pelo lado esquerdo do Botafogo, Thiago Carleto e Neílton não estão entrosados somente dentro de campo. Fora dele, os parceiros exaltam suas origens e unem familiares. Criados em Diadema, na região metropolitana de São Paulo, o lateral e o atacante se conheceram após a chegada de Neílton ao clube, em julho. Desde então, as brincadeiras tomaram conta do cotidiano alvinegro.

Os dias de concentração, por exemplo, passam pelo “congelado” quarto da dupla. Aos risos, Neílton conta que o parceiro não dispensa o ar-condicionado.

— Dividimos quarto eu, ele e um pinguim se bobear. Ele coloca o ar-condicionado em 16ºC graus. É um gelo. Mas não posso falar nada — brinca o atacante, de 21 anos, que ainda garoto já acompanhava o amigo no profissional do Santos.

— Joguei com o irmão dele (Rodrigo) e acompanhei o sucesso dele no profissional. Eu era garoto e ele já era famoso, velho “da bola” — diz Neílton ao lembrar do início de ambos no Santos.

Só risadas: brincadeiras são comuns no campo
Só risadas: brincadeiras são comuns no campo Foto: Rafael Moraes / RAFAEL MORAES

Em Diadema, a dupla já prepara a confraternização de fim de ano. E a melhor forma de celebrar o 2015, que tem tudo para terminar com o retorno à primeira divisão, é o título da Série B, que está perto de acontecer.

— Vamos organizar uma pelada. O meu time já está armado e vou jogar no ataque. Será os Amigos do Morro, meu time, contra a equipe dele. Só que já fiz o planejamento completo para vencer. Temos até uniforme. Ele não tem nada — disse o confiante Carleto.

E, como em toda pelada, a aposta já está feita:

— Quem perder vai ter que pagar o churrasco para todo mundo — confessa Neílton, “presidente” do Catados do El Dourado. — Imagina organizar um churrasco para 200 pessoas depois do futebol. Não é fácil. Esse jogo é muito importante — brincou.

Antes da confraternização para reunir os amigos, Carleto e Neílton garantem foco na “decisão” contra o Criciúma. O acesso e o título serão a melhor forma de mostrar a força do Botafogo.

— Pelo que nós enfrentamos, o quanto antes subirmos, melhor — reconhece Carleto. — Provamos a força do Botafogo e esse grupo tem qualidade. Queremos vencer o Criciúma para buscar o título — decretou.

Com contratos de empréstimos até o fim do ano, a dupla já deixou claro o desejo de renovar seus vínculos e ficar no Botafogo. Enquanto isso, eles se divertem, dentro e fora de campo.

Fonte: Extra Online