Uma tragédia abalou nesta quarta-feira o palco de abertura da Copa do Mundo de 2014. Três estruturas metálicas da Arena Corinthians caíram na parte traseira do estádio em construção, causando a morte de duas pessoas. As estruturas foram atingidas por um guindaste que estava colocando a última treliça, de 500 toneladas, sobre o prédio leste. O painel de LED que fica na parte externa do local também foi danificado. O estádio teria de ser entregue até o fim deste ano.

O chefe do Corpo de Bombeiros, Major Mauro Lopes, em entrevista à Rádio Jovem Pan, havia anunciado a morte de três pessoas, mas, posteriormente, corrigiu, afirmando que foram dois mortos: o motorista de um caminhão e o operador do guindaste. Segundo a Polícia Militar, ainda há mais uma pessoa presa nas ferragens. O acidente ocorreu por volta da hora do almoço e por isso o local tinha um fluxo menor de operários. A obra já foi interditada pela Odebrecht, que vai emitir uma nota oficial em instantes.

O Corpo de Bombeiros já está no local e faz o atendimento aos feridos. A obra foi evacuada, e os funcionários estão do lado de fora. Cinco ambulâncias do Samu e cinco viaturas dos Bombeiros trabalham no local, e o helicóptero da Polícia Militar também está à disposição para ajudar no resgate.

O Corinthians emitiu uma nota oficial curta, apenas lamentando o acidente:

“A diretoria do Sport Club Corinthians Paulista vem a público lamentar profundamente o acidente ocorrido há pouco na Arena Corinthians. Não existem outra informações no momento”.

Estruturas metálicas caem na Arena Corinthians (Foto: Rodrigo Muniz)
Estruturas metálicas caem na Arena Corinthians (Foto: Danilo Magri)

O guindaste que caiu era considerado o maior do Brasil, com 114 metros de altura e com capacidade de suportar 1.500 toneladas, como mostrou o GloboEsporte.com em reportagem em agosto de 2012. O prestador de serviços Rodrigo Muniz, que estava a serviço no local mais cedo, registrou o guindaste horas antes do acidente. Confira abaixo o antes e o depois da tragédia.

Outras obras de construção de arenas para a Copa do Mundo tiveram acidentes fatais. Em junho de 2012, um carpinteiro caiu de uma laje no Mané Garrincha, em Brasília. Em março deste ano, na arena de Manaus, um pedreiro foi encontrado morto. Em janeiro, um funcionário que trabalhava na manutenção do sistema de iluminação da Arena do Grêmio morreu eletrocutado. As obras da Allianz Arena, do Palmeiras, também tiveram um acidente fatal, em abril deste ano. Os estádios do Verdão e do Grêmio, no entanto, não serão utilizados no Mundial.

Info_Acidente-arena_Corinthians (Foto: Infoesporte)

 

Fonte: Globoesporte.com