Ex-Botafogo fez bico até de pedreiro e busca recomeço em time da 2ª do Rio

Compartilhe:

Defender o time do coração muitas das vezes é o maior sonho de uma criança. Jougle Manoel Rodrigues pode se orgulhar do feito e vestiu a camisa do Botafogo entre 1999 e 2009, sendo os três últimos anos no elenco profissional, sob o comando de Cuca. Algumas lesões no joelha impediram que sua história no clube fosse ainda maior e ele passou por vários clubes até chegar ao Barra da Tijuca, da segunda divisão do Rio de Janeiro, onde tenta despertar o interesse de grandes equipes.

E o simples fato de estar em campo já é uma vitória para Jougle, que no fim de 2011 sofreu com uma lesão no púbis, que o impediu de exercer sua profissão. No total foram quase um ano e meio longe dos gramados. Um período difícil para o volante, que reencontrou a felicidade ao defender o tradicional América, em 2013.

“Foi muito complicado ficar sem jogar. Sou jogador de futebol e gosto de estar em campo. Vivo disso e as lesões podem prejudicar muito um profissional”, disse Jougle ao UOL Esporte.

Seu contrato chegou ao fim e, sem clube, ficou com tempo ocioso. Determinado, ele treinava por conta própria à espera de um novo time. Nesse período ele fez até mesmo bico de pedreiro ajudando na reforma da casa de sua tia, no bairro de Prados Verdes, em Nova Iguaçu. Engana-se quem pensa que o feito poderia envergonhá-lo. Pelo contrário. Orgulho, ele até mesmo divulgou fotos em uma rede social.

Mas o que interessa para Jougle é dentro de campo. O volante de 26 anos nunca desistiu e mostrou estar preparado quando a oportunidade surgiu. Atualmente ele defende o Barra da Tijuca, que disputa a Copa Rio até o mês de novembro. Até lá ele tem um objetivo definido em sua cabeça.

“Quero fazer um grande campeonato, ajudar o meu time a ser campeão. Quando você é campeão, fica na vitrine e oportunidades boas aparecem. Aqui no Barra da Tijuca temos uma grande estrutura, mas não é como em um time grande, que tem muitos profissionais especializados, por exemplo”, afirmou.

Inteligente, Jougle sabe que a carreira de jogador tem validade e faz planos para seu futuro. Além de defender o Botafogo, ele tem outro sonho de infância: se formar em educação física. “É quase impossível conciliar as duas coisas, mas quero muito seguir esse caminho. Quero estudar”, concluiu.

Fonte: UOL

Comentários