O primeiro jogo da semifinal da Copa Verde entre Brasília e Brasiliense já havia sido marcado por brigas entre torcidas. Porém, nesta quarta, pela partida de volta, a confusão se formou dentro de campo. Isso porque o Jacaré, que tinha a vantagem do 2 a 0 conquistada fora de casa, foi derrotado por 3 a 0 em seu estádio e viu os torcedores invadirem o campo.

Após o apito final, cerca de 30 pessoas foram em direção aos jogadores do Brasília, que recuaram. Atletas do Brasiliense, como o experiente goleiro Guto, tentaram acalmar os agressores, que então se voltaram contra os jogadores do próprio time da casa.

Além da agressão verbal, os torcedores retiraram barras de ferro das placas de publicidade e começaram a arremessá-las contra os atletas. Para piorar, alguns jogadores tentaram revidar e o clima esquentou. Mesmo diante da situação agravante, os policiais observavam a confusão de dentro de campo e demoraram a agir. Quando entraram em ação, os torcedores fugiram e a confusão se espalhou para fora do estádio, onde houve tentativas de depredação.

De acordo com o subtenente Paulo Vidal, comandante do policiamento na partida, não há informações sobre feridos e ninguém foi detido. “O Batalhão de Choque teve que intervir com bombas de efeito moral, mas conseguimos dispersar o grupo apenas com a atuação ostensiva. Nenhum torcedor foi detido, não tinha arma branca, arma de fogo, nada”.

Abatidos com a eliminação e com toda a confusão, os jogadores do Brasiliense viveram um momento de revolta e medo. O experiente meia Zé Roberto, ex-jogador de clubes como Botafogo, Flamengo e Inter, lamentou o ocorrido.

“Nunca tinha visto isso. É muito complicado. A gente tem que saber que o futebol é alegria. Não podem acontecer cenas como essas, de torcedor invadir o campo e partir para cima de jogador. Isso não cabe no futebol”.

Fonte: Yahoo! Esporte Interativo