O site Globoesporte.com divulgou nesta terça-feira reportagem contando os bastidores das contratações de Leo Valencia pelo Botafogo e de Andrés Ríos pelo Vasco da Gama. Este último tinha aceitado a oferta do Glorioso e celebrava o acordo num jantar com a família na noite de domingo, mas aceitou uma proposta do Vasco já às 3h da madrugada.

A oferta do Vasco foi superior à do Botafogo em US$ 150 mil (cerca de R$ 490 mil), incluindo salários, luvas e comissões no período de um ano. A conversa com o Vasco foi conduzida pelo empresário Martín Guastadisegno, enquanto o agente Nicolas Puppo foi quem intermediava a negociação com o Botafogo.

“Vou entender se você quiser brigar comigo, me bater. Mas não pude deixar passar essa chance. Peço desculpa de todas as maneiras possíveis. Não sei mais o que dizer. Não encontro palavras, nunca passei por essa situação, mas o Martín me trouxe uma oferta, e preciso pensar na minha família”, explicou Ríos a Nicolas Puppo, em série de mensagens durante a madrugada.

Ríos pegaria às 8h10 um voo da Gol para o Rio de Janeiro pago pelo Botafogo para fazer exames médicos e assinar contrato de um ano. Com a mudança, o atacante argentino do Defensa y Justicia pegou um voo mais tarde e foi anunciado à tarde pelo Vasco, com direito a foto e tudo. O grupo de empresários que negociava com o Alvinegro prometeu ressarcir as passagens compradas.

Martín Guastadisegno culpou o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, pelo fracasso nas negociações por Andrés Ríos e elogiou a postura do Vasco.

– Eu tentei ligar para o presidente do Botafogo, e ele disse que não queria negociar comigo. Se não fala comigo, não faz negócio. A culpa é do presidente do Botafogo. Eu queria agradecer ao Vasco, que se comportou bem, ligou para mim diretamente e fechou o negócio em dois dias – disse Guastadisegno.

Carlos Eduardo Pereira, por sua vez, não quis comentar:

– Não vou comentar uma contratação do Vasco.

Fonte: Globoesporte.com