Federação do Rio se preocupa com baixo público. E quer mudanças no Carioca

Compartilhe:

A Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) está preocupada com a queda de público nas últimas edições do Campeonato Carioca. E para recuperar o prestígio da tradicional competição, a entidade quer mudanças e agendou reunião com os clubes do estado, quando discutirá tais medidas entre os dias 9 e 16 de setembro.

A principal preocupação da Ferj está no preço dos ingressos cobrado pelos clubes. A federação do Rio defende uma redução no valor e deixa claro que cada jogo é uma situação. O presidente Rubens Lopes explica.

“Tem havido declínio da presença de público. Então, temos de corrigir isso. Mesmo que a bilheteria não seja a maior fonte de receita dos clubes [apenas 4% em média] e que ela esteja na audiência da TV. Agora, um espetáculo sem público é frio. Acho que o caminho está em algumas medidas tomadas pelos clubes no atual Brasileirão. Quem reduziu o preço dos ingressos, lotou o estádio. É o que vamos discutir”, disse o dirigente.

“Temos de respeitar as peculiaridades de cada clube. Dos grandes, por exemplo, os contratos com o Maracanã são diferentes. Cada partida tem a sua variável: onde será o jogo, quais os jogadores em campo, horário, importância da partida. Isso mostra que o preço não pode ser fixo”, completou Lopes.

Mudanças na fórmulas de disputa para 2016

Outra importante mudança que está em pauta é a fórmula de disputa. Ela já foi alterada em 2014 por conta da disputa da Copa do Mundo e passou a ser realizada em pontos corridos. Para 2016, existe a possibilidade de uma nova regra. E isso poderá interferir no número de times na competição.

Uma fórmula que os times grandes defendem passou a ser bem recebida pela Ferj. Nela, os considerados pequenos iniciariam o Carioca apenas entre si. Os oito melhores se juntariam a Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense em uma fase seguinte, reduzindo de 16 para 12 times no estadual.

A proposta será debatida com todos os times, mas deverá encontrar resistência nos times menos favorecidos. Isso porque eles não querem perder a oportunidade de enfrentar os grandes no Carioca e tentarão manter a quantidade de equipes na competição.



Fonte: UOL
Comentários