Botafogo e Cruzeiro se enfrentaram hoje (31) no Rio de Janeiro pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time mineiro saiu na frente do marcador ainda na primeira etapa. O lance do gol gerou reclamação por parte dos botafoguenses, que pediram um toque de mão do lateral Orejuela na origem da jogada. Em entrevista ao SporTV no intervalo da partida, o zagueiro Gabriel explicou o motivo da insatisfação dos jogadores dando uma breve ‘aula’ de arbitragem.

“Reclamamos do toque de mão. Vou te explicar: na nova regra, se o time está com a posse de bola ofensiva e a bola toca na mão, é falta. Não é porque o jogador está aqui atrás que a regra não se aplica. A regra é para o campo todo. […] Ele não marcou, o lance continuou, e saiu o escanteio em que eles fizeram o gol”, declarou Gabriel.

Ainda no intervalo da transmissão do jogo, o comentarista de arbitragem Sandro Meira Ricci, foi acionado para elucidar a jogada. O ex-árbitro reprovou o ‘professor’ Gabriel, e deu a explicação correta do lance, dizendo que o gol do Cruzeiro foi legal.

“O Gabriel deu aula, mas acabou não passando no teste. Na verdade, tem o contato da bola com a mão do Orejuela. É uma mão não intencional. E a nova regra, citada pelo Gabriel, diz que mão não intencional só deve ser marcada quando um atacante que, depois de usar a mão, marca um gol ou cria uma oportunidade de gol direta, iminente. Neste caso, teve um escanteio ainda, e do escanteio saiu o gol”, explicou o ex-árbitro.

Fonte: UOL