A ida de Emerson Sheik para o Botafogo não foi descartada e pode estar ainda mais perto de acontecer. O que muitos questionam é por qual motivo o camisa 11 do Corinthians aceitaria se arriscar em um clube que tem passado por dificuldades financeiras e tem atrasado os salários dos jogadores. A resposta é simples: a diretoria paulista continuaria pagando integralmente os vencimentos do atleta. Entenda.

No combinado entre os dois clubes para um empréstimo até o final desta temporada, cada um arcará com metade, cerca de R$ 250 mil cada. Para que o jogador não tenha receio de ir para General Severiano, a equipe do Parque São Jorge topou mantê-lo na folha de pagamento e receber os 50% direto dos cofres do Botafogo. Se o departamento financeiro do Rio de Janeiro falhar, é o Corinthians quem ficará sem receber.

Para isso acontecer, no entanto, atual time de Sheik quer garantias de que vai receber mensalmente a quantia combinada. Segundo alguns dirigentes, das duas partes, é esse um dos únicos detalhes que faltam para fechar de vez o negócio.

Não era bem essa a vontade do camisa 11, que falou mais de uma vez sobre a sua vontade de permanecer em São Paulo – o que chegou a gerar um empurra-empurra. Sem chances com o técnico Mano Menezes, no entanto, é difícil que exista outra alternativa para o atleta.

Fonte: ESPN.com.br