Henrique acordou leve após ter acabado com o jejum de 26 jogos pelo Botafogo. Na busca por espaço no time que irá disputar a Libertadores, ele acredita que o gol marcado no Madureira, quinta-feira, pela terceira rodada do Carioca, servirá de motivação para sua sequência em General Severiano.

“Senti um alívio bacana com o gol. Foi o primeiro jogo do time antes da Libertadores e ter ajudado com um gol para começar com vitória foi muito bom. O gol é sempre bem vindo em qualquer momento, mas, perto de uma competição tão importante, dá mais ânimo”, disse o atacante.

Henrique marcou contra o Madureira

Foto:  Uanderson Fernandes / Agência O Dia

O oportunismo de Henrique apareceu no momento certo. Com a chegada de Wallyson, que treinou ontem com o grupo, de El Tanque Ferreyra e o retorno de Elias, o camisa 9, provavelmente, voltaria para a reserva — o gol serviu como um fôlego a mais para o camisa 9, que não balançava a rede desde novembro de 2012, quando ainda defendia o Sport.

O técnico Eduardo Hungaro foi um dos que mais vibrou com o término do jejum do atacante, mas pediu pés nos chão para que outros aconteçam naturalmente.

“Henrique é merecedor de tudo que ocorreu. Que ele tenha uma sequência de muitos gols. Tem valor, currículo e trabalha intensamente. Nos treinos, sempre se destacou nas finalizações. Ele superou algo difícil. É algo que vários artilheiros já passaram. Mas também não pode criar uma euforia”, alertou o treinador.

A diretoria confia no potencial de Henrique e espera que ele possa voltar a apresentar o futebol que o fez ser artilheiro e melhor jogador do Mundial Sub-20, em 2011. O atacante, de 22 anos, tem contrato até 2016 e quase trocou o Botafogo pelo Real Madrid B ano passado. A negociação demorou a ser concretizada e a janela de transferências europeias foi encerrada. Como uma fênix, ele espera dar a volta por cima em 2014.

Fonte: O Dia Online