Ídolo do Botafogo lembra experiências próprias para crer em S/A como solução

4 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Bandeira do Botafogo no Estádio Nilton Santos
Vítor Silva/Botafogo

Projeto apontado como salvação do Botafogo, a S/A está pausada na transição de presidentes, mas segue sendo vista como solução. O modelo de clube-empresa vai separar o futebol das demais áreas. Ex-zagueiro e ídolo alvinegro, Gonçalves enxerga a S/A como única saída.

– Acredito que sim por experiência própria, de conhecer como funciona o modelo de gestão de uma S/A por já ter realizado um trabalho nesse sentido. Eu consegui em 2004 fundar o clube-empresa da Universidade Estácio de Sá e também no futebol mexicano eu joguei durante cinco anos num clube-empresa. Eu sei que o momento é muito difícil, porque é difícil você captar investidor no mercado para fazer aporte financeiro numa instituição que tem uma dívida como tem o Botafogo. Isso não dá segurança ao investidor de ter o retorno do capital dele que ele possa vir a investir nessa empresa – disse Gonçalves ao site “GE”.

– Mas por outro lado eu não vejo outra solução para que o Botafogo possa eliminar a longo prazo, não a curto prazo, essa dívida e que possa ter condições de formar equipes competitivas para se pensar em conquistas de novos títulos brasileiros ou de um título mundial, continental como é a Libertadores. Um título de expressão como é a Copa do Brasil. Acho que o Botafogo vive a realidade dele com muita dificuldade financeira, não tem condições de competir de igual para igual com equipes como Flamengo, Palmeiras, Grêmio, Atlético-MG – explicou.

Para Gonçalves, o Botafogo precisa que a S/A seja iniciada o quanto antes para o clube voltar a ter condições de competir em alto nível.

– Nesse momento há equipes mais fortes técnica e financeiramente, e mais bem organizadas, administradas e estruturadas, dentro do cenário do futebol brasileiro. Então o único caminho é de fato o Botafogo conseguir concretizar esse processo de transformação em S/A para que no longo prazo o Botafogo possa diminuir essa dívida, sendo capaz de atrair investidores estrangeiros. Que acho que é o objetivo maior para que o Botafogo tenha recursos para formar equipes vencedoras no futuro – afirmou.

– Nesse momento, sendo muito realista, não vejo o Botafogo com condições no curto prazo de formar equipes com condições de conquistar títulos de expressão a nível nacional. Pela dificuldade e pela limitação financeira que o clube tem nesse momento. Mas torço para que esse processo de transformação em S/A possa ser concluído o mais rápido possível – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas