Os jogadores do Atlético-MG reclamaram muito de um toque no braço do zagueiro Igor Rabello dentro da área já na parte final do empate do Botafogo em 0 a 0 no Horto, neste domingo. O defensor do Glorioso explicou:

– Meu corpo estava em movimento, a bola bate sim no meu antebraço, mas não sou em quem coloca a mão. A bola bateu no braço. O árbitro foi claro no lance e não marcou o pênalti – afirmou Rabello ao Premiere, valorizando o ponto conquistado:

– Determinação. Começamos desde o primeiro tempo imprimindo uma forte marcação, então valeu o empate fora de casa.

Fonte: Redação FogãoNET