Internado em Natal, ex-Botafogo Marinho Chagas apresenta melhora e deve deixar UTI

Compartilhe:

O ex-jogador Marinho Chagas deve deixar a Unidade de Terapia Intensiva da Casa de Saúde São Lucas, em Natal, ainda nesta terça-feira. O craque foi internado na última segunda-feira com uma hemorragia digestiva, decorrente de duas úlceras no duodeno, a primeira parte do intestino delgado. Segundo a mulher de Marinho, Patrícia Ribeiro, ele está bem e tem um quadro estável de saúde, mas ainda inspira cuidados.

Marinho Chagas, ex-lateral do Botafogo (Foto: Canindé Soares/Cedida)
Marinho Chagas apresenta melhora e deve deixar UTI ainda nesta terça-feira (Foto: Canindé Soares)

– Agora já podemos dizer que o Marinho está bem. Ele sofreu uma hemorragia digestiva, e a taxa de hemoglobina caiu. Mas a previsão é de que deixe a UTI ainda hoje (terça-feira) e seja transferido para um apartamento. Ele está com duas úlceras no duodeno, e com um vaso dilatado no mesmo local. Ainda precisa de cuidados, mas passa bem sim – falou ao GLOBOESPORTE.COM.

Ainda de acordo com Patrícia, Marinho Chagas não conseguiu se livrar do alcoolismo, e costuma beber regularmente. A esposa do ex-craque de ABC, Náutico, Botafogo e Seleção Brasileira revelou que, há apenas um dia internado, ele já sofre com abstinência de álcool.

– O Marinho é realmente um alcoólatra. Ele está numa abstinência tão grande que você não pode imaginar. Foi justamente esse vício que provocou o problema no duodeno. Tudo que a gente ingere passa por lá, e o excesso de álcool acabou comprometendo o seu funcionamento e gerando as úlceras – finalizou.

Marinho Chagas ainda sofre de hepatite C, bronquite, hipertensão e diabetes.

Craque

Imagem com Marinho Chagas e Rivelino, em 1974 #RN (Foto: Arquivo Pessoal)
Marinho Chagas defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1974 (Foto: Arquivo Pessoal)

Depois de encantar potiguares e pernambucanos com as camisas de ABC e Náutico, Marinho, também conhecido como “A Bruxa”, chegou ao Botafogo em 1972. Na Copa de 1974, na Alemanha, foi eleito o melhor lateral-esquerdo do mundo, mesmo após a eliminação da Seleção Brasileira na fase semifinal do torneio, após derrota para a Holanda.

Marinho Chagas ainda foi parceiro de Pelé no fim da década de 70, no New York Cosmos, dos Estados Unidos. Ao lado deles, alguns dos maiores jogadores da história formaram o time dos sonhos de muitos apaixonados por futebol. Franz Beckenbauer, Carlos Alberto Torres e Johan Neeskens eram algumas das estrelas daquele timaço. De chuteiras penduradas há mais de duas décadas, o ex-jogador foi nomeado embaixador da Copa do Mundo 2014 na capital potiguar.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários