Mesmo fora das últimas convocações da seleção brasileira, o goleiro Jefferson até admite estar ansioso pela lista final dos jogadores que irão à Copa América Centenário, que será divulgada na próxima quinta-feira pelo técnico Dunga.
O capitão botafoguense, porém, disse que é preciso “mudar a chave” sobre tal expectativa e focar no clube, que disputa a final do Campeonato Carioca.

“Isso é uma coisa que não adianta querer esconder: a gente fica na expectativa de ser convocado. Mas chega um momento em que temos que mudar a chave, valorizar mais o Botafogo. Hoje minha seleção, minha casa é o Botafogo, Preciso dar mais atenção aqui”, falou Jefferson, nesta quarta, em entrevista após o treino do Glorioso.

O goleiro começou as eliminatórias sul-americanas como titular, mas perdeu espaço para Alisson Becker, do Internacional, e foi ausência nas últimas listas.

A saída errada no gol vascaíno na primeira partida da final do Carioca não ajudou na boa avaliação de Jefferson, que disse tratar-se de uma “infelicidade” e pediu para que o bom trabalho do Botafogo neste ano não seja apagado por isso.

“Não digo falha, foi uma infelicidade. Quando você tenta e não dá certo, é uma infelicidade. No meio do caminho, sabia que não ia chegar na bola, tive que tomar uma decisão. Não foi consciente, mas sabia do risco que ira correr. Como em outros lances já deu certo. Depois do lance consegui fazer boas defesas, o trabalho está sendo bem feito”, falou.

“A gente tem que tomar cuidado, muito excesso de vontade às vezes não dá certo. Sou muito profissional, sou um dos primeiros a me concentrar. Se o trabalho não tivesse sido bem feito, a gente teria que estar preocupado. Mas se pegar os últimos jogos, pude fazer boas defesas, chegar à final. Não é hora de alarmar, tem que ter cabeça”, continuou.

Fonte: ESPN.com.br