O técnico Vagner Mancini já tem um time-base para o Botafogo, no entanto, a falta de opções para reposição e, principalmente, alterar o panorama de uma partida, preocupam o treinador. Uma das explicações para a falta de alternativa é o número de atletas do Glorioso entregues ao Departamento Médico, somada à falta de recursos para investimento do clube em contratações.

Para a partida deste domingo, contra o Santos, no Maracanã, Mancini não poderá contar com Airton, que sofreu um estiramento na coxa e é dúvida para a partida; Carlos Alberto, que se recupera de lesão no tornozelo direito; Zeballos, que com dores musculares, sequer será opção no banco; Ferreyra, suspenso na rodada; e Lucas, que deixou o clube depois de ação na Justiça.

Por conta das restrições, Mancini não esconde a ansiedade em voltar a contar com atletas importantes. “A verdade é que as opções não estão do jeito que deveriam ser. Quando todos estiverem à disposição, poderemos fazer trocas que mudarão o panorama dentro do jogo. Faz um certo tempo que as substituições não trazem alterações de ordem tática ou mudam uma partida. Acho que em breve isso vai acontecer. Espero que em 10 dias todos estejam à disposição e, então, o leque vai aumentar”, observou o treinador.

Fonte: FutNet