Após a péssima atuação do Botafogo na derrota desta quarta-feira por 2 a 1 para o Ceará, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o técnico Vagner Mancini foi sincero ao admitir que o prejuízo poderia ter sido pior. Mesmo em casa e contra um adversário com time misto, por estar priorizando a Série B, o Glorioso não conseguiu se impor. Pelo contrário, foi dominado na maior parte do tempo, principalmente na etapa inicial, quando levou os dois gols, e escapou de um resultado ainda mais desastroso.

– O Ceará teve a oportunidade de matar o jogo (a disputa pela vaga). Temos que sair daqui sabendo que poderia ter sido pior. O Botafogo até entrou bem, durante os primeiros dez minutos criou chances, mas depois o Ceará tomou conta, e a nossa equipe mostrou muita coisa errada. Acho que esse primeiro tempo foi o pior tempo desde que cheguei. O time foi desorganizado e desarrumado — disse Mancini, que ainda mantém esperança na classificação: Tenho certeza de que o segundo jogo serár diferente. Temos totais condições de inverter esse placar lá.

Além de deixar o Maracanã incomodado com o desempenho pífio do seu time, o treinador mostrou incômodo também com o trio de arbitragem Segundo Mancini, as atuações de Braulio da Silva Machado (SC) e de seus auxiliares, Neuza Ines Back e Rosnei Hoffmann Scherer, prejudicaram o desenrolar da partida. Durante os 90 minutos, Machado foi permissivo com o jogo faltoso do Ceará e ainda marcou um pênalti inexistente de Rogério em Helder. O alvinegro acabou expulso.

– Sem querer tirar o mérito do Ceará, que é uma grande equipe, o Botafogo jogou mal, mas a arbitragem também foi muito mal. Não gosto de falar sobre isso, mas o árbitro e seus assistentes erraram várias vezes, o que, de certa forma, deixou o jogo mais tenso – frisou.

Fonte: Extra Online