Marcelo Mattos vive crise com botafoguenses e reedita perseguição de atletas

Compartilhe:

A série de protestos realizados no Botafogo durante esta semana fez uma vítima. Marcelo Mattos reagiu na manifestação, cobrou presença dos torcedores nas arquibancadas e entrou em rota de colisão com as organizadas. No último jogo, o volante foi ignorado e não teve seu nome gritado antes da partida, como é de costume no clube.

Assim, o jogador, que desfalca o Alvinegro contra o Atlético-PR, neste sábado, às 19h30, no Maracanã, reedita um grupo de jogadores que tiveram que enfrentar a perseguição da torcida, casos de Lúcio Flávio, Fahel e Alessandro, por exemplo.

Marcelo Mattos foi o primeiro jogador a desembarcar no aeroporto do Galeão, na última segunda-feira, um dia depois da derrota para o Internacional, em Caxias do Sul. Alguns torcedores exaltados o xingaram e ele respondeu cobrando presença maciça dos alvinegros nas arquibancadas, o que revoltou os manifestantes.

Nas redes sociais, circulou um boato de que o volante teria, inclusive, comparado a média de público do Botafogo com a do Flamengo, o que foi desmentido pelo jogador em conversa com os torcedores no mesmo dia, no Engenhão. Além disso, alguns membros de torcida organizada afirmam ter visto Marcelo Mattos rir antes de entrar no ônibus, o que aumentou a polêmica.

Toda essa situação foi externada no jogo contra a Portuguesa. Marcelo Mattos foi o único jogador que não teve seu nome exaltado pelos torcedores antes da partida começar. Todo o restante foi lembrado, um a um. Quando chegou a vez do camisa 5, as organizadas o pularam.

Marcelo Mattos, no entanto, tem exemplos de que essa situação não precisa ser definitiva. No atual elenco, um jogador que já passou por tudo isso e conseguiu superar a má fase. Rafael Marques chegou para substituir Loco Abreu com uma indicação do técnico Oswaldo de Oliveira. Após seis meses de perseguição, ele deu a volta por cima e se transformou em um dos destaques do time no ano.

O volante, porém, terá que esperar alguns dias para tentar dar a volta por cima. Isso porque ele está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e não enfrenta o Atlético-PR, neste sábado, no Maracanã – Renato será o substituto. O camisa 5 deve retornar à equipe no dia 24, contra o São Paulo, no Morumbi.

Fonte: UOL

Comentários