A goleada sofrida diante do Grêmio foi mais um resultado negativo do Botafogo. O momento alvinegro é ruim dentro e fora de campo. Apesar disso, na opinião de Moisés, o grupo alvinegro precisa se unir para tentar reagir neste momento. O lateral fez questão de negar que o atraso de salários dos jogadores esteja influenciando negativamente o desempenho do time. Em crise, o Botafogo venceu apenas uma das últimas sete partidas que fez no Brasileirão.

“Em momento algum. A diretoria tem conversado com a gente e dentro de campo não tem refletido. A maior culpa é nossa. Nós que erramos passes e gols. Essa questão salarial não reflete dentro de campo.”

A péssima fase já coloca a equipe perigosamente próxima à zona de rebaixamento e os jogadores reconhecem a necessidade de uma vitória já na próxima rodada, contra o Cruzeiro, no Engenhão.

“Sabemos que vamos encontrar um jogo difícil. Não sei como, mas essa vitória tem que vir. O professor Zé Ricardo está montando [o time] nessa semana e temos que encontrar um jeito de marcarmos gols e não tomarmos”, declarou nesta segunda-feira o lateral Moisés, mirando o jogo de quarta contra o rival mineiro.

O próprio jogador, no entanto, reconheceu que a tarefa não será fácil. Como o Grêmio, o Cruzeiro tem um dos melhores elencos do Brasil e está nas quartas de final da Copa Libertadores. “Não digo que somos inferiores, mas claro que o elenco de Grêmio e Cruzeiro são mais elásticos que o nosso. Mas dentro de campo são 11 contra 11 e sabemos que estamos devendo aos nossos torcedores e diretoria.”

“Estamos falando de Botafogo, um time grande e de história. Temos que sair dessa situação e demonstrar dentro de campo. Hora de botar a cara e entrar de peito. Nosso vestiário está bom e temos a confiança de cada jogador. Temos que unir forças para resolver isso em campo, com as vitórias”, concluiu.

Fonte: O Dia Online