O Botafogo venceu o Corinthians (SP) no domingo (4), deu importante passo para evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, mas a notícia que realmente chamou atenção no noticiário alvinegro na última segunda-feira foi a contratação, no mínimo inusitada, do meia-atacante Zé Gatinha, de 21 anos. Não sabe quem é? A gente conta para você.

Segundo informações do site Globoesporte.com, o atleta foi contratado até abril do próximo ano. O objetivo inicial seria avaliá-lo na equipe que disputa o Torneio Octavio Guimarães (competição sub-23 do Rio de Janeiro), mas a chegada do jogador foi tardia, após o prazo de inscrição. Sendo assim, restou mantê-lo em atividades alternadas entre o elenco sub-20 e até mesmo com o grupo principal que está às voltas com a reta final do Brasileirão.

Zé Gatinha é o apelido de Alessandro Scheppa, natural de Vitória, no Espírito Santo. E foi em solo capixaba que ele iniciou a trajetória como atleta. O primeiro clube profissional da carreira foi o Espírito Santo FC. Ele ficou no Santão entre 2017 e 2018, acumulando 25 partidas e três gols anotados. Obteve maior destaque neste ano, chegando a disputar a Série D do Campeonato Brasileiro.

Gatinha pode ser considerado um atleta multifuncional. Tem preferência por atuar pelos lados do campo, mas também já foi utilizado como camisa 10 em determinadas situações. Foi assim no Flamengo de Guarulhos (SP), último clube pelo qual passou na disputa da quarta divisão do Campeonato Paulista. Por lá, anotou quatro gols, mas não conseguiu o acesso.

Apelido curioso, mas que deve ficar de lado

O apelido incomum surgiu ainda na infância, quando Alessandro era chamado de Gatinho. Em uma escolinha de futebol do Parque da Pedra da Cebola, em Vitória, um treinador local adaptou a alcunha e passou a chamá-lo de Zé Gatinha. Daí em diante, esse passou a ser nome mais conhecido quando se fala do meia-atacante.

No Botafogo, entretanto, a tendência é que ele seja chamado de Alessandro. Foi assim que os empresários do atleta, através das redes sociais, anunciaram o acerto com o Alvinegro. Um tom mais “sério” para atender as exigências de um grande centro do futebol nacional.

Vale destacar, no entanto, que Zé Gatinha não pode ser utilizado pelo Botafogo nesta reta final de Brasileirão. Mesmo que o desempenho nos treinamentos venha a chamar atenção, o atleta foi registrado após o prazo de inscrições. Sendo assim, uma provável aparição de Zé Gatinha, ou Alessandro, fica, talvez, para 2019.

Fonte: FutRio