Oswaldo tinha esquecido de tomar remédios; médico cita ‘sorte’

Compartilhe:

O atendimento médico recebido no Maracanã foi fundamental para a saúde do técnico Oswaldo de Oliveira. O comandante do Botafogo precisou ser medicado ainda no gramado durante os minutos finais da derrota por 1 a 0 para o Grêmio, no último sábado. Internado em uma clínica na zona sul do Rio de Janeiro por conta de uma arritmia cardíaca, o treinador acabou “agraciado” pela operação do corpo de emergência do estádio.

O diagnóstico foi feito pelo médico Fabrício Braga, chefe da unidade coronariana da clínica São José, local no qual o técnico alvinegro passou por uma bateria de exames e segue em observação até receber alta, prevista para o decorrer deste domingo.

Assim que começou a sentir-se mal, Oswaldo de Oliveira chamou o médico do Botafogo, Rodrigo Kaz. O profissional ouviu as queixas de palpitação, desconforto, dificuldade para respirar e frequência cardíaca alta. Ainda no gramado, o treinador foi medicado pelo staff alvinegro.

Após o apito final, Oswaldo foi removido rapidamente para o centro médico do Maracanã. No local, o comandante recebeu nova medicação. Em caso de problema mais grave, desfibriladores e aparelhos cardíacos estavam à disposição. A estrutura do estádio, reformado para a Copa do Mundo de 2014, foi fundamental para evitar que algo mais grave pudesse ocorrer.

“Ele recebeu o medicamento adequado no primeiro momento e também quando a frequência cardíaca baixou. O atendimento no Maracanã foi perfeito. Ele teve muita sorte de contar com estrutura e profissionais. Estavam com todo o aparato e avisados de possíveis problemas”, explicou o médico Fabrício Braga.

O profissional relatou que Oswaldo de Oliveira esqueceu-se de tomar os remédios para hipertensão nos últimos dias, o que pode ter agravado a arritmia cardíaca. Já o médico Rodrigo Kaz assegurou que o técnico jamais havia reclamado do problema diagnosticado.

“Ele conseguiu ir até o final do jogo após ser medicado, mas estávamos preparados. A atenção era grande no banco de reservas. O Oswaldo nunca mencionou esse tipo de caso, porém, são coisas que acontecem. Ele passa bem, isso é o mais importante”, encerrou.

Oswaldo de Oliveira segue em observação por 72 horas. Após o prazo e se nenhuma alteração for relatada, o técnico poderá retomar normalmente o trabalho diário. No entanto, sua presença na partida de quarta-feira, contra o Náutico, em Recife, é improvável.

Eduardo Húngaro, Jair Ventura ou Luiz Alberto podem comandar o Alvinegro no próximo compromisso pelo Campeonato Brasileiro. O Botafogo planeja anunciar a substituição durante a próxima segunda-feira.



Fonte: UOL
Comentários