Oswaldo vibra com goleada, mas se preocupa com reta final; leia a íntegra da coletiva

Compartilhe:

O Botafogo teve uma grande atuação na noite deste sábado ao golear o Atlético-PR por 4 a 0. Após a partida, o técnico Oswaldo de Oliveira elogiou a partida realizada por seus comandados e ressaltou a qualidade da equipe adversária, que mesmo após a derrota se mantém em segundo lugar no Brasileirão.

– Hoje a equipe conseguiu desenvolver tudo o que está preparada para desenvolver. Mérito é maior pelo adversário, que considero logo após o Cruzeiro o melhor. Valoriza muito nossa vitória. O fator determinante foi os jogadores se convencerem de que são capazes de fazer. Esse foi o fundamental – declarou.

Com 57 pontos, o Botafogo pulou para o terceiro lugar no Brasileirão. O time, porém pode perder duas posições neste domingo, quando Grêmio (também 57) e Goiás (56) vão a campo contra Flamengo e Internacional, respectivamente.

Nas últimas três rodadas, o Botafogo terá dois jogos fora de casa, contra São Paulo e Coritiba, e um diante de sua torcida, contra o Criciúma, na última rodada. Na opinião de Oswaldo, a tarefa alvinegra será inglória.

– Dá para acreditar, mas é uma trajetória dificílima. O São Paulo melhorou muito, principalmente depois da chegada do Muricy. Tem feito partidas brilhantes, mas temos que buscar. Temos que ir por degraus.

Confira outros trechos da entrevista coletiva do treinador:

Boa atuação de Renato

– Acho que o grande destaque foi o Renato. Foi aquilo que estávamos habituados e que o levou para Seleção. Fiquei feliz. Um jogador que tem história e às vezes não acreditam que pode voltar a jogar em alto nível. Ele tem se preparado. Teve problema nas costas que o atrapalhou. É difícil se concentrar, ainda mais um artesão, que trabalha com a coordenação fina. Muito refinado. Com dor não dá para ter precisão. Destruir é mais fácil. Para construir precisa da melhor forma. O Renato é um cara realizado. Não precisei ficar dando explicações a ele. Sabia que ele ia voltar a jogar. Essa dor nas costas o prejudicava muito. Já imaginou Salvador Dali ou Picasso com dor nas costas para fazer aqueles quadros maravilhosos? Um cara refinado é muito difícil. Com o empenho silencioso dele diariamente sabíamos que uma hora ele ia chegar neste ponto deslumbrante de hoje.

Ressurreição de Bruno Mendes

– Acho que o Bruno merecia isso. Esse menino chegou no ano passado, se destacou muito e atraiu muitos olhares ambiciosos. Acho que isso atrapalhou muito o desenvolvimento dele. Infelizmente no Brasil vemos muito isso acontecer. Com o Hyuri estava acontendo isso. No São Paulo, vi isso se passar com o Kaká quando ele voltou da Copa. Terminava o treino, já saía para gravar comercial. Com o Hyuri o assédio foi grande. Feliz pelo Bruno porque sempre disse que teria a condição de voltar. Ele é muito jovem e vamos ver se tem mais estabilidade daqui para frente.

Goleada sobre o vice-líder

– Se pudesse distribuiria os gols para o jogo contra a Portuguesa. Tivemos muitas chances. O placar foi exagerado. É bom para o ego, confiança, clima e atmosfera de trabalho. Inspira e e dá força para retomar a posição no G-4. Queremos essa classificação.

Sensação após a vitória

– Estou muito feliz, mas muito tranquilo. Às vezes ficamos um pouco cansados. Estamos em uma rotina forte, uma correria muito grande. Nossos bastidores parecem até de uma peça de teatro. Mas graças a Deus a coisa se encaixou muito bem.

Elias voltar a marcar

– O Elias é um cara que a gente pegou no meio do ano e ele tem tido uma fase de adaptação ao nosso jeito de trabalhar. É um pouco diferente. Isso tem feito ele sentir um pouco, e também a sequência de jogos. Isso acaba desgastando demais ele. Tem tido contusões, que pelo menos não têm sido pesadas. Mas tiram da rotina, e isso complica. Vejo nossa equipe muito bem quando temos a presença ofensiva dele, sabe jogar nesta função.

Suspensão de Bolívar e retorno de Marcelo Mattos

– O Bolívar tem muita experiência, e isso acaba atrapalhando a sequência. Mas o Dankler sempre o substituiu muito bem. Jogou partidas difíceis, estou tranquilo. O Marcelo Mattos é aguerrido, importante. Vai ser muito bem vindo de volta.

Semana para trabalhar

– Quando tivemos duas semanas para trabalhar, o pessoal cobrou imediatamente. Jogador tem a capacidade de absorver o trabalho e ir se desenvolvendo. Vamos fazer uma intertemporada em melhores condições. Hoje temos maneiras de checar o nível de desgaste dos atletas.

Autores dos gols comemorando com ele

– É uma sensação de reconhecimento boa de tudo que temos trabalhado e conversado. A relação tem sido muito boa e se fortalece. Jamais vamos nos afastar, vamos continuar amigos para sempre. Fico muito feliz mesmo quando o jogador vem na minha direção, me envaidece.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários