Pacotão do Botafogo: recuo de cabeça no chão, belo lençol e um quase golaço

Compartilhe:

A noite sem gols no Maracanã culminou com a saída momentânea do Botafogo do G-4 do Campeonato Brasileiro. A equipe de Oswaldo de Oliveira vê a vaga para a Libertadores do ano que vem ameaçada, após permanecer desde a quinta rodada no grupo dos quatro primeiros. Contra a Portuguesa, algumas tentativas que obrigaram o goleiro Lauro a ser o destaque do jogo, mas nada que conseguisse balançar a rede adversária. Quem chegou muito perto de ainda fazer um belíssimo gol foi Elias, que acertou o lado de fora da rede após tentativa de bicicleta ainda no primeiro tempo.

Entre os destaques, o tímido protesto que envolveu as manifestações do Bom Senso FC. Se em outras partidas, como no jogo entre São Paulo e Flamengo, os jogadores chamaram bastante a atenção, os atletas de Botafogo e Portuguesa apenas cruzaram os braços durante o minuto de silêncio antes do apito inicial, temendo serem punidos com cartões amarelos. Um recuo nada convencional de Dória, que quase colocou o time mandante em risco, também aparece na lista, assim como uma boa finalização do zagueiro no minuto final da partida. Para fechar, um bonito drible de Octávio, que aplicou um lençol no lateral-esquerdo rival.

O PROTESTO TÍMIDO

Ao contrário do que aconteceu nas partidas de seus rivais cariocas, o protesto envolvendo o Bom Senso FC foi bastante acanhado no Maracanã. Os mesmos braços cruzados presentes no duelo entre Grêmio e Vasco marcaram presença, mas, diferente do que aconteceu em Porto Alegre, apareceram somente antes do apito inicial do árbitro. Os jogadores de Botafogo e Portuguesa respeitaram um minuto de silêncio pelo falecimento do pai do presidente do clube carioca, Maurício Assumpção, e não se manifestaram de forma veemente. Havia o temor de serem punidos com cartões amarelos.

O RECUO BIZARRO

Aos 27 minutos da primeira etapa, um lance completamente atrapalhado assustou os torcedores alvinegros presentes no estádio. Após uma titubeada de Jefferson com a bola nos pés, o zagueiro Dória optou por abaixar-se e tentar fazer o recuo de cabeça para seu companheiro. O detalhe é que a bola estava no chão, e a decisão do camisa 21 quase colocou seu time em risco. Diogo, atento, chegou para dividir com o goleiro botafoguense, que apenas viu Dória proteger e tirar para onde o nariz apontava.

O QUASE GOLAÇO

Elias foi, sem dúvida, o jogador de ataque do Botafogo que mais levou perigo ao gol de Lauro no decorrer da partida. O atacante brigou bastante com os zagueiros adversários e, aos 26 minutos do primeiro tempo, arriscou um bonito lance de bicicleta, arrancando gritos da torcida. Após cruzamento de Rafael Marques pela esquerda, a zaga rebateu mal, e o camisa 38 ousou ao tentar o golaço, mesmo marcado por Lima e Valdomiro. A bola pegou na rede pelo lado de fora.

O lençol

Octávio entrou no lugar de Hyuri aos 29 minutos do segundo tempo e foi protagonista de uma bela jogada quando o cronômetro marcava 39 da etapa final. O meia recebeu bola invertida pelo lado direito, matou no peito e deu um belo toque para passar pelo lateral-esquerdo Bryan, da Lusa. O lençol foi bonito, mas a jogada acabou com um corte feito por Lima, quando o cruzamento feito pelo meia alvinegro buscava encontrar os atacantes Henrique e Bruno Mendes dentro da grande área.

O ÚLTIMO SUSPIRO

Lauro já havia salvado a Portuguesa em quatro boas oportunidades, sendo responsável direto pelo placar em branco. E o Botafogo buscava o gol da manutenção da vaga no G-4 a qualquer custo. Foi quando Dória apareceu como atacante para tentar ajudar, aos 47 minutos da etapa final. De fora da área, o zagueiro acertou uma bomba de pé esquerdo e obrigou o goleiro adversário a saltar de forma bonita e evitar o gol. Foi o último ato do Alvinegro na partida, e a quinta defesa difícil do arqueiro da Lusa.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários